3/6/15 1:01
Atualizado em 12/5/16 à 17:52

Governador dialoga com moradores da Candangolândia

Roda de Conversa na região reuniu cerca de 650 pessoas


. Foto: Andre Borges/Agência Brasília

Atualizado em 3 de junho de 2015, às 19h59

Na primeira Roda de Conversa do Executivo local, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, respondeu a perguntas feitas por moradores da Candangolândia sobre transporte, educação, regularização fundiária, cultura, empreendedorismo e segurança. Oito cidadãos, entre os 32 inscritos, foram sorteados e fizeram seus questionamentos diretamente para o chefe do Executivo local. Além deles, três representantes de movimentos sociais da região administrativa foram ouvidos.

“A maior sabedoria de um governante é ouvir a população, e eu estou aqui hoje para isso; saio com ainda mais ânimo para enfrentar os problemas da cidade”, disse Rollemberg diante de um público de 650 pessoas. A Roda de Conversa será realizada no Paranoá até o fim de junho.

Ao abrir o encontro, o governador reconheceu o momento financeiro difícil da capital do País e explicou que a crise o motivou a tomar medidas para reduzir as despesas do Executivo e aumentar a arrecadação. Lembrou que reduziu em R$ 56 milhões os gastos com trabalhadores comissionados e devolveu carros alugados pela administração. Falou sobre o início das obras de infraestrutura do Sol Nascente, em Ceilândia; o investimento para construir o Bloco 2 do Hospital da Criança de Brasília José Alencar; e a diminuição da criminalidade em Brasília. “Não chegamos onde gostaríamos, mas estamos caminhando para isso.”

Aurélio Martins foi o primeiro morador sorteado para falar. Ele quis saber a opinião do chefe do Executivo local sobre a adoção de transporte alternativo. A resposta foi que esse tipo de serviço deve ser complementar ao sistema de transporte coletivo apenas em determinadas regiões administrativas, e não concorrente. Porém, ele ponderou que cada caso deve ser estudado separadamente.

A diretora de escola pública Shirley Nunes e a professora Adriana Cadete levantaram o tema educação na Roda de Conversa. “Precisamos de mais apoio do governo para atender cerca de 300 alunos que praticam esportes com a gente. Precisamos de reformas urgentes no salão comunitário, onde ocorrem as aulas de educação física”, disse Adriana. O governador determinou que a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) avalie o local e verifique a necessidade de licitação para reparos. “O que não der para ser resolvido imediatamente serve como base para a elaboração da Lei Orçamentária Anual de 2016.”

O morador Milton Felício questionou sobre a presença de servidores ligados a partidos de oposição em cargos de confiança. “Por que o senhor trabalha com tantos adversários no governo?” Rollemberg explicou sobre os impedimentos que o Estado tem para contratar após a gestão passada ter ultrapassado o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. “A lei traz regras que visam garantir a saúde financeira da unidade da Federação”, explicou. Também disse que o critério para contratar é unicamente baseado na competência e no comprometimento da pessoa e não em sua orientação política.

Vila do Sossego
Provocado pelos questionamentos, o chefe do Executivo local garantiu à população da Vila Sossego, na Candangolândia, que enviará um representante da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF à comunidade para avaliar a transferência dos moradores para um terreno mais adequado. Auxiliado pelo secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, informou que a vila ocupa uma área de preservação permanente e que é impossível ser regularizada dessa maneira. O governador ainda marcou uma visita à área rural da região administrativa para ver pessoalmente a situação dos chacareiros.

Aos artesãos, falou sobre seus planos de criar um grande centro de comercialização de artesanato. Artistas locais ficaram satisfeitos com a ideia de debater suas demandas com o governo por meio dos Diálogos Culturais. Sobre segurança pública, Rollemberg comemorou a redução dos índices de criminalidade, citou a adoção ainda experimental do Pacto pela Vida e disse que todas as sugestões para chegar ao índice zero de homicídios são válidas.

“O governador que ouve muito certamente acertará mais”, disse Rollemberg ao fim do evento. A Roda de Conversa é uma oportunidade que o governo de Brasília tem de ouvir as demandas da sociedade diretamente da população. Todas as perguntas inscritas no debate desta terça-feira (2) estarão na internet e serão respondidas pelos órgãos responsáveis. Na página on-line também será possível acompanhar todos os encaminhamentos feitos pelo Executivo.

Veja a galeria de fotos: