29/3/17 16:59
Atualizado em 30/3/17 às 10:34

Caesb reativa captação de água no Rio Alagado, no Gama

Medida faz parte de várias outras que a companhia tem adotado para fortalecer o abastecimento no DF

A captação de água no Rio Alagado, no Gama, foi reativada nesta semana, o que vai beneficiar cerca de 16 mil moradores da região.

A medida faz parte de várias outras que a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) tem adotado para fortalecer o abastecimento da população do Distrito Federal diante da crise hídrica.

Para captar 20 litros por segundo do Alagado, a companhia restaurou uma unidade de tratamento e, assim, melhorou a infraestrutura do local.

Além disso, foram recuperados 4 quilômetros de trechos da adutora, e uma válvula redutora de pressão foi instalada. A água captada passa por um tratamento simplificado e é encaminhada para a própria rede de distribuição.

Melhorias na captação para abastecer Jardim Botânico e Lago Sul

A Caesb também promoveu melhorias na captação do Córrego Cabeça de Veado, que nasce dentro de área protegida, passa perto do Jardim Botânico e do Lago Sul e deságua no Lago Paranoá.

Esse córrego é responsável por complementar o fornecimento de água aos habitantes do Jardim Botânico e do Lago Sul.

A Caesb fez uma análise da elevatória e, com a troca dos rotores, aumentou a eficiência das bombas.

Quatro bombas foram revitalizadas, o que possibilitou o aumento da vazão de captação no córrego de 110 para 150 litros por segundo.

Córrego Crispim também reforça abastecimento no Gama

Também no Gama, desde novembro de 2016, cerca de 15 mil pessoas já são abastecidas pelo Córrego Crispim, que fica na cidade. Nesse curso d’água, são captados 40 litros por segundo.

Para isso, reativaram-se 3 quilômetros e construíram-se mais 180 metros de redes de 300 milímetros de diâmetro.

A água captada passa por um tratamento simplificado e depois é encaminhada para o Reservatório do Gama, de onde é distribuída à população.

Poço em São Sebastião beneficia 4 mil pessoas

Em São Sebastião, para contribuir com o fornecimento de água à região administrativa, a Caesb ativou um poço.

A estrutura tem capacidade para produzir 10 litros de água por segundo, o que beneficia 4 mil moradores locais.

Segundo o presidente da Caesb, Maurício Luduvice, mesmo de pequeno porte e com baixo custo, esses investimentos permitem colocar cerca de 100 litros de água por segundo a mais no sistema de abastecimento.

“Eles [os investimentos] vão ajudar de maneira relevante na superação da crise hídrica vivida pelo Distrito Federal”, acredita Luduvice.

Às 14h30 desta quarta-feira (29), o nível do Reservatório do Descoberto estava em 48,07% da capacidade total, e o de Santa Maria, em 49,67%. O ideal é que eles permaneçam acima de 60% do volume útil.

Edição: Raquel Flores