27/6/12 20:48
Atualizado em 17/5/16 às 14:26

Sustentabilidade e qualidade de vida para os moradores do Riacho Fundo

Na série de entrevistas com administradores regionais, Artur Nogueira fala à AGÊNCIA BRASÍLIA da preocupação e comprometimento do GDF com a sustentabilidade, o combate ao uso de drogas e a melhoria na qualidade de vida dos moradores do Riacho Fundo.


. Foto: Pedro Ventura

O administrador da cidade conta quais são as principais conquistas e investimentos nessas ações, que objetivam o desenvolvimento da cidade preservando o meio ambiente. Ele também faz um convite à comunidade para participar da campanha “Riacho Fundo contra as Drogas”, que ocorre até o próximo dia 29 na cidade.

1 – Como será promovida a ação de combate ao uso das drogas?  

Nós realizaremos a campanha “Riacho Fundo contra as Drogas”. A campanha é um alerta para jovens e adultos sobre os impactos e efeitos nocivos do consumo de drogas. Com isso, queremos manter a comunicação direta com os moradores, prevenindo e orientando sobre o tema. É muito triste ver que, aqui, ainda existem usuários de drogas. Para acabarmos com esse cenário, envolveremos escolas e toda a comunidade na ação. Estamos promovendo palestras, oficinas, exposições e até concurso de redação sobre o tema nas escolas. Essa iniciativa envolve o Corpo de Bombeiros Militar, Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania, polícias Militar e Civil e outros órgãos.

2 – Também há preocupação com a preservação do meio ambiente.  O que vem sendo feito nesse sentido?

O mundo caminha para a sustentabilidade. Aos poucos, estamos agregando aos projetos de urbanização esse importante quesito. É o caso das paradas de ônibus que, agora, têm postes com energia renovável. Seis delas possuem o equipamento e a meta é que as outras 12 também o recebam. Acreditamos que a iniciativa minimiza custos, diminuindo os impactos no meio ambiente. Também pensando na preservação ambiental, distribuímos 300 lixeiras e mais de 80 containers, o que deixa a cidade mais limpa, bonita e conservada. A Área de Preservação Ambiental está sendo cercada para evitar que as pessoas joguem lixo. Além disso, só no ano passado, plantamos mil mudas de árvores com a ajuda da comunidade e, para 2012, a meta é plantar mais mil.

3 – O que mais a cidade ganhou para melhorar sua infraestrutura e a qualidade de vida dos moradores?

A cidade passou por melhorias de infraestrutura que vão desde a construção de praças à revitalização dos becos, que receberam nova iluminação, calçadas e jardinagem. Os moradores ganharam oito Pontos de Encontro Comunitário (PECs) e quadras poliesportivas, uma Academia para a Primeira Idade e outra para pessoas especiais. Os 23 parques infantis também foram reformados.  Já os moradores da zona rural ganharam, aproximadamente, 3km de calçadas entre a quadra QN 01 e a Escola Kanegae. O asfalto que liga o Corpo de Bombeiros ao Fórum também passou por recapeamento. Além disso, as ruas da cidade estão sempre limpas e sem buracos. Semanalmente, uma equipe da administração regional vai às ruas fazer a operação tapa-buraco. Nós também construímos cinco estacionamentos com capacidade para 180 vagas, oferecendo, assim, melhores condições de trânsito nas vias da cidade. Pensamos também no âmbito social, como as questões de acessibilidade que precisam ser consideradas. Instalamos piso tátil para deficientes visuais e rampa para os cadeirantes nas paradas de ônibus.  

4 – O Riacho Fundo receberá mais alguma novidade?

Sim. Dedicamos atenção especial à Granja Modelo, por exemplo, onde estamos construindo um PEC. A obra, ainda em fase de execução, oferecerá mais qualidade de vida e nova opção para a prática de esportes. Também licitamos a construção de uma quadra poliesportiva, mais uma alternativa de entretenimento para as crianças.

5 – Existem outros projetos?

Nossa principal meta é a construção de um viaduto. O projeto já foi feito pelo Departamento de Estradas e Rodagens (DER). Nosso planejamento também inclui a construção de duas escolas – uma na quadra QN 07, que atenderá ao ensino infantil, e outra na quadra QN 09. Também queremos construir uma Escola Técnica na quadra QN 01.

6 – Para finalizar, fale um pouco da relação que a administração regional tem com os seus moradores.

Posso dizer que 90% de tudo o que fizemos foi definido pela comunidade. A cada mês, nos reunimos com os moradores de uma quadra para fazer um levantamento do que o local precisa e saber quais são os anseios das pessoas. O que é prioridade para aquele determinado grupo, a administração tenta atender. Todas as quadras já receberam algum tipo de benefício.