4/7/12 20:31
Atualizado em 17/5/16 às 14:24

Solidariedade e preservação ambiental

 Na série de entrevistas com administradores regionais, Elias Carneiro detalha à AGÊNCIA BRASÍLIA o projeto social Viver Cidadão e as demais ações para desenvolver o Núcleo Bandeirante


. Foto: Lula Lopes

 Muitas benfeitorias foram promovidas no Núcleo Bandeirante para que a população tenha mais qualidade de vida. A cidade já ganhou inúmeras obras, e ações estão em andamento. O administrador da cidade, Elias Dias Carneiro, conta que a solidariedade, a responsabilidade social e os cuidados com o meio ambiente também fazem parte da rotina da região administrativa.

1 – O Núcleo Bandeirante é berço de um projeto piloto.  Como funciona o Viver Cidadão?

Esta é uma ação comunitária que é um sucesso e terá a sua terceira edição em agosto.  Nós prestamos serviços jurídicos, promovemos competições esportivas, realizamos exames, doação de alimentos às entidades carentes, incentivos à cultura, orientação aos empresários da cidade e muitas outras atividades.  Na última edição, nós doamos 12 toneladas de alimentos e conseguimos fazer mais de 15 mil atendimentos à população do Núcleo Bandeirante. Aproximadamente 240 pessoas estavam engajadas para atender a comunidade. Tudo é realizado por meio de parcerias com as secretarias de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejus),  de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest), Saúde (SES),  Micro e Pequena Empresa e Economia Solidária (SMPES), Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-DF), Banco de Brasília (BRB), Banco do Brasil (BB), Serviço Social do Comércio (Sesc),  Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Serviço Social da Indústria (Sesi), a comunidade e demais entidades parceiras. As administrações regionais que desejarem aderir a este projeto e quiserem saber como executá-lo podem nós procurar ligando para 3486-9500.

2 – Também foi lançado na cidade um projeto para mantê-la limpa e preservar os recursos naturais. Que ações são promovidas?

Quando assumi a gestão, em maio de 2011, a cidade estava um caos. Muito lixo e desorganização estavam presentes na vida dos moradores. Embora fosse realizada a coleta de lixo e a varrição das ruas, era difícil manter a região      limpa. Para dar fim ao problema, nós criamos o Projeto Bandeirante Consciente. Fizemos palestras para as crianças, distribuímos informativos alertando sobre o problema e orientamos sobre os benefícios de se ter um ambiente livre do lixo. Esse trabalho também foi para as ruas por meio de cartazes, informativos e até carro de som, que informa o horário correto da coleta do lixo. O serviço ocorre a partir das 18h. Além disso, instalamos 120 lixeiras em diversos pontos para que as pessoas não joguem lixo no chão.

3 – Como tem sido a reação da comunidade a etse projeto?

Já dá para perceber que a população está se conscientizando e se sensibilizando com a questão, inclusive orientando os próprios vizinhos sobre a importância de colocar o lixo no horário certo e preservar os recursos naturais.  Paralelamente a isso, nós também reabrimos o Parque Bandeirante. Lá, as duas quadras de esporte receberam cobertura e reforma, as piscinas passaram por reparos e o parque está em excelente estado de conservação para atender os visitantes. Nós também fizemos uma parceria com a ONG Segurança, que oferece aulas de natação e hidroginástica. Hoje, cerca de mil pessoas são atendidas, sendo  400 idosos. As pessoas podem procurar a administração do parque e fazer sua carteirinha para aproveitar todas as atividades desenvolvidas no local.

4 – E a cidade ganhou novas obras para revitalizar sua infraestrutura?

Muitas melhorias foram feitas para garantir a qualidade de vida dos moradores do Núcleo Bandeirante. Nós reformamos 15 parques infantis e construímos dois. Onze quadras de esporte receberam reparos e, dessas, três ganharam cobertura metálica. Sete Pontos de Encontro Comunitário (PECs) foram instalados. O campo da Divinéia foi reformado e recebeu gramado. E o Estádio de Futebol da Metropolitana ganhou novos estacionamentos. Por meio do Projeto Travessa Dom Bosco, foram plantadas 70 palmeiras na entrada da cidade, construídos novos estacionamentos e um coreto. Além disso, a única biblioteca pública da cidade, que  ficava alagada e tinha goteiras, foi entregue, há duas semanas, reformada. O local de estudo recebeu isolamento acústico,  ganhou uma sala exclusiva para as crianças e o laboratório de informática, que opera com 15 computadores, receberá internet WI-FI em agosto.

5 – Há mais ações em andamento para melhorar a qualidade de vida da população?

Será inaugurado, neste mês, um posto do Programa Saúde da Família (PSF) que contará com especialistas em ginecologia, pediatria e clínica geral. O serviço será prestado em um  espaço cedido pela administração regional. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que funcionará 24 horas, já está pronta e deve ser inaugurada em agosto. Outra melhoria é que a cidade deve ganhar uma policlínica. O projeto já está pronto e, em breve, faremos a licitação para iniciarmos as obras. A Feira Permanente do Núcleo Bandeirante também será contemplada com reforma total. Lá, os banheiros já foram reformados e serão investidos cerca de R$ 3 milhões para a instalação de cobertura metálica e reforma de todo o telhado. Outra novidade para a população será a reforma do terminal rodoviário, que já saiu no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF).

6 – Além do que já foi executado ou está em andamento, há mais planos para a comunidade do Núcleo Bandeirante?

Temos muitas metas e queremos atingir todas elas. Os principais planos são construir duas passarelas na Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB), revitalizar o Parque Vivencial, construir  estacionamentos em frente ao Mercadão, instalar parquinhos ergométricos e academias infantis, reformar a sede da administração, do ginásio e do salão, além de construir  um Centro de Convivência do Idoso (CCI).