25/7/12 18:01
Atualizado em 17/5/16 às 14:23

Obras estruturais valorizam Taguatinga

Na série semanal de entrevistas com administradores regionais, Carlos Alberto Jales aponta à AGÊNCIA BRASÍLIA as principais obras e benfeitorias realizadas por sua gestão em Taguatinga


. Foto: Beto Silva

Ao reconhecer que Taguatinga apresenta problemas estruturais em equipamentos públicos, já antigos e degradados, Carlos Jales prioriza obras de reformas e revitalizações. O trabalho de nove meses mostra também a preocupação com questões ambientais como a preservação e realização de melhorias em parques ecológicos e áreas verdes da cidade. A Saúde é outra área de destaque em sua administração. Em entrevista à AGÊNCIA BRASÍLIA, o administrador de Taguatinga ressalta as principais ações realizadas e os projetos para o futuro.

Quais as principais obras realizadas na sua gestão?

Taguatinga necessita de muitas obras, porque as ruas, calçadas e vias são antigas e estão degradadas. Há um grande fluxo de pessoas e veículos que passam em Taguatinga diariamente – cerca de 1 milhão de pessoas. Nesses nove meses fizemos o estacionamento da C1, na entrada da cidade, com acessibilidade e vagas para 250 carros. Nesse mesmo local, instalamos um Ponto de Encontro Comunitário (PEC) e um parque infantil. Reformamos também seis parques infantis, e 10 quadras de esporte. Fizemos uma quadra de futebol society em Taguatinga Sul, na Praça da Vila Dimas, além de um estacionamento com capacidade para 55 veículos. Revitalizamos o Setor de Oficinas H Norte com a desobstrução de várias ruas, ocupadas desordenadamente por veículos, carcaças e placas de publicidade.

Como está a troca de placas de sinalização?

Começamos esse trabalho, no mês passado, pelo centro da cidade. Em seguida, passamos para as quadras QNA, CNB, QND E QNE, em Taguatinga Norte. São aproximadamente 400 novas placas refletivas com endereçamento, CEP e seta indicando a entrada das quadras. Além das placas, colocamos lixeiras para ajudar a comunidade a deixar a cidade mais limpa.

A administração demonstra uma preocupação em relação à preservação do meio ambiente e manutenção das áreas verdes. Que ações são feitas nesse sentido?

O Parque Vivencial, uma área cheia de mato e entulho que fica na QNL, em Taguatinga Norte, será transformado em parque de convivência. Serão construídos PECs, parques infantis, pista de caminhada e ciclovia. As obras começaram em maio e a primeira etapa deve terminar no final do ano. Vamos revitalizar também o Parque Ecológico Saburo Onoyama, em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente e o Instituto Brasília Ambiental. As obras já foram iniciadas e o investimento é de aproximadamente R$ 2,2 milhões. O espaço será contemplado pelo programa Brasília, Cidade Parque. É uma demanda antiga da comunidade local.

Há projetos para o Taguaparque?

Sim. Estamos construindo 2km quilômetros de pista de cooper, na área sul, e 70% da obra estão concluídos. Uma academia da saúde para idosos será instalada no parque, que contará também com atividades como artesanato, corte e costura, capoterapia, automassagem, ginástica, e atendimento na área de Saúde. Ainda no Taguaparque, vamos retirar a rede de alta tensão. A obra, orçada em R$ 9 milhões, será uma parceria com a CEB e deve começar neste segundo semestre.

Que obras estão previstas para este segundo semestre?

A troca de asfalto de todo o setor QNB, uma demanda de 35 anos da comunidade. Investimos cerca de R$ 4 milhões em renovação do asfalto. Vamos construir um tipo de praça de alimentação no Setor de Oficinas, aproveitando os trailers e comércios já existentes. O projeto está em fase final de licitação. No entanto, uma das maiores obras será iniciada neste segundo semestre: a construção da calçada com acessibilidade, da ciclovia e do estacionamento em toda a Avenida Comercial Sul. É uma obra orçada em R$ 6,5 milhões, com previsão de duração de 12 meses. Temos ainda projeto de uma Praça Multiuso, atrás do Centro Cultural no Taguaparque. Também revitalizaremos a Praça do Relógio, inclusive com alterações no paisagismo.

A cidade recebeu investimentos em iluminação pública?

Sim. Gastamos mais de R$ 5 milhões em iluminação pública no Setor QNL, na ligação de Taguatinga Sul à fábrica da Coca Cola, no Pistão Norte, e na QNA até a descida do HRT [Hospital Regional de Taguatinga]. Neste segundo semestre deveremos investir mais R$ 5 milhões em iluminação na área central de Taguatinga, e nas praças do DI e do Bicalho, que são áreas bem movimentadas.

O que foi feito na área de Saúde?

Dos cinco postos de saúde que Taguatinga tem, quatro foram totalmente reformados de outubro até agora. Eles estão equipados e funcionam com 100% da sua capacidade. Construímos uma UTI neonatal no HRT e reformamos a ala de semi-UTI e o banco de leite materno. Agora, estamos fazendo a impermeabilização da parte superior do hospital.