15/8/12 13:54
Atualizado em 17/5/16 às 14:19

Educação e Saúde avançam em Samambaia

Na série de entrevistas semanais com administradores regionais, Risomar Carvalho enumera à AGÊNCIA BRASÍLIA as ações que contribuíram para a melhoria da qualidade de vida na cidade


. Foto: Pedro Ventura

Os resultados da gestão de Risomar Carvalho, empossado em 1º de janeiro de 2011, são positivos. Na lista de ações executadas ou em andamento, destacam-se as construções de cinco Clínicas da Família, uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), um complexo cultural, sete creches e uma escola classe e a inauguração da primeira etapa do campus definitivo do Instituto Federal de Brasília (IFB). A unidade já conta com 1 mil estudantes.

O campus definitivo do IFB está pronto para receber a comunidade?

Hoje (15) inauguramos a primeira etapa do campus definitivo do IFB de Samambaia. São dois blocos que ocupam 4.200m² – um para atividades administrativas e o outro com 12 salas, laboratórios de informática e de ensaios, auditório para 200 pessoas e vestiários. Todas as salas são equipadas para receber internet. O campus ocupa a área total de 22 mil m², e a segunda etapa, que inclui mais dois blocos, deve ser inaugurada até o mês que vem. Nessa primeira etapa da obra foram investidos R$ 7,5 milhões. Já a segunda etapa está orçada em R$ 10 milhões, o que totaliza R$ 17,5 milhões.

Como a escola funcionará?

Os cursos são voltados para a área da construção civil, já que a cidade, em processo de verticalização, conta com mais de 560 obras em andamento e absorve 34% da mão de obra local. O número de estudantes será ampliado para 2,8 mil, e para facilitar-lhes a chegada e garantir sua segurança, instalaremos uma parada de ônibus, faremos uma intervenção viária com a colocação de um balão e instalaremos pontos de iluminação em toda a vizinhança do campus.

Quais as medidas tomadas para melhorar a educação na cidade?

Os estudantes terão em breve uma escola mais perto de casa. A Escola Classe (EC) 210 está em construção e será a 40ª unidade pública de ensino da cidade. Serão 12 salas de aula novas para atender alunos nos turnos matutino e vespertino. As Escolas Classe 108 e 121 estão em reforma, e aos estudantes EC 831 serão oferecidos café da manhã e almoço. Outra novidade é a construção – em fase de demarcação do terreno – de sete creches para crianças de 0 a 5 anos com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Cada unidade poderá atender aproximadamente 120 crianças, em período integral.

Samambaia possuía carências no atendimento à saúde. Que benfeitorias essa área recebeu?

O hospital regional ganhou 10 novos leitos e teve sua estrutura totalmente reformada. Inauguramos uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que funciona 24 horas e temos quatro centros de saúde, dois deles reformados e um em obras. Outra novidade são as cinco Clínicas da Família que os moradores estão recebendo. Duas já foram inauguradas, uma na QR 523 e outra QR 122. A terceira, na QR 314, está em construção e deve ser inaugurada em 40 dias. A quinta, na QR 302, está com metade das obras concluída. Cada uma dessas clínicas, orçadas R$ 2 milhões, comportam cinco equipes formadas por um médico, um enfermeiro, um técnico de enfermagem e cinco agentes de saúde.

A infraestrutura da cidade tem recebido obras e reformas?

Há construções e reformas para melhorar a infraestrutura da cidade. Nós licitamos 100 mil metros de calçadas e construímos 110 bocas de lobo e mil metros de ramais e galerias de águas pluviais. E, até o final de 2014, 2,5 mil postes de concreto serão instalados. O investimento em iluminação pública é de aproximadamente R$ 5 milhões.

Samambaia ganha ações para aumentar a qualidade e segurança do trajeto de motoristas e pedestres em suas vias. O que foi efetivamente realizado?

Recentemente, inauguramos a DF 459, com 12km de extensão que ligam Samambaia a Ceilândia. Construímos 16 vias de ligação em locais que eram utilizados como depósito de lixo. Também instalamos três baias de ônibus, e mais 11 começam a ser construídas na Avenida Leste. A cidade ganhou ainda mais 12 estacionamentos e placas de endereçamento em 32 quadras. No total, sete mil serão instaladas. Houve, em locais com elevado índice de acidentes de trânsito e atropelamentos, a colocação de dois semáforos. Essas ações contribuíram significativamente para reduzir o número de acidentes, desafogar o trânsito e aumentar a segurança de pedestres e motoristas.

Os moradores querem a construção de um complexo cultural. Como essa demanda é atendida?

Em 2007, foi criado um Conselho de Cultura em Samambaia para elencar as prioridades no campo da cultura. Uma das primeiras demandas constatadas pelo grupo foi a necessidade de um local para realização de encontros e apresentações artísticas. A cidade vai receber o Complexo Cultural Samambaia, espaço que terá teatro com capacidade para 600 pessoas, cinema, auditório, biblioteca pública, albergue da juventude, anfiteatro, praça, área de convivência, galerias e escola de artes e ofícios, como cenografia, sonoplastia, iluminação, maquiagem, figurino, cinema e fotografia. O objetivo é criar um polo irradiador de arte e cultura em Samambaia. O complexo será construído na Quadra 102, perto da estação do metrô. A licitação dos projetos de engenharia e arquitetura já foi publicada no Diário Oficial. Acredito que, até o fim do ano, o projeto esteja aprovado.

Há mais alguma ação para aumentar o acesso à cultura?

Quinzenalmente, a sociedade civil, líderes comunitários e o governo se reúnem para discutir ações na área da cultura. Os encontros, abertos à comunidade, ocorrem na Escola Classe 501. Nós também realizamos um sarau com artistas locais na última sexta-feira do mês.