21/8/12 23:01
Atualizado em 21/8/12 às 23:01

Qualidade de vida é a marca de Brasília

 
 
Pesquisa por Amostra de Domicílios indica elevada expectativa de vida e alta cobertura de serviços de infraestrutura na região do Plano Piloto


. Foto: Mary Leal

Mulher, com ensino superior completo, natural da região Sudeste, servidora pública no Plano Piloto e com idade entre 25 e 59 anos. Essas são as características mais comuns de quem vive nas asas Norte e Sul, Vila Planalto, Vila Telebrasília, Granja do Torto e Setor Militar Urbano. O perfil do morador da Região Administrativa 1 (Brasília) foi traçado pela Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD), divulgada nesta terça-feira (21) pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan). Foi a última da série de 30 PDADs realizadas desde 2010 em todo o DF.

“Nosso desafio é elaborar políticas públicas voltadas para esse fenômeno”, afirmou o administrador regional de Brasília, José Messias de Souza. “Precisamos, ao mesmo tempo, preservar a área tombada e investir em equipamentos públicos, como ciclovias. Precisamos sempre de planejamento para harmonizar as políticas públicas”, acrescenta.A pesquisa ressaltou que Brasília tem dois tipos de população: cerca de 214 mil moradores fixos e outros 700 mil habitantes trabalhadores, que vão e voltam todos os dias. Essa população flutuante passa o dia no local, trabalhando ou estudando, utiliza dos equipamentos públicos da cidade, mas não mora na região. “Quase metade da população do DF trabalha em Brasília”, destacou o presidente da Codeplan, Júlio Miragaya.

 

MEDIDAS DO GDF

» Ampliação do Polo JK


» Criação de postos de trabalho no eixo sul do DF


» Alteração do eixo administrativo do GDF para Ceilândia e Taguatinga


» Investimento em mobilidade urbana


» Programa de preservação da área tombada


» Retomada do conceito de cidade parque

Para Júlio Miragaya, o ideal é que o governo continue com a política de gerar emprego e renda nas demais cidades do DF. “Temos que descentralizar as atividades para reduzir a pressão não só do mercado de trabalho, mas do uso dos serviços públicos”, avalia. O presidente da Codeplan enumerou ainda as medidas do GDF para reduzir os impactos da população flutuante em Brasília (veja box à esquerda).

Expectativa de vida – A proporção de idosos em Brasília é de 21,9%, quase três vezes a média do Distrito Federal, 7,4%. Já as crianças (de zero a 14 anos) representam apenas 12,8%, enquanto a média no DF é de 25,5%. A taxa de crescimento anual da população (0,9) também é menor que a do DF (2,3). A população feminina é predominante no DF e também em Brasília, onde mulheres alcançam 53% e homens 46%.

Para atender a essa população, a Administração de Brasília já instituiu o programa Administração na Quadras, para ter contato mais próximo com a população e conhecer suas demandas. O GDF está reformando as calçadas, construindo ciclovias, instalando Pontos de Encontro Comunitários (PECs) e fazendo novas rampas, entre outras obras para melhorar as condições de acessibilidade.

Nova PDAD – A partir de 2013, a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios passará a comparar as regiões administrativas, que, desde abril, são 31, com a Fercal. Com a mudança, será possível acompanhar esse esforço do governo em descentralizar a oferta de oportunidades de trabalho e planejar o crescimento de todo o DF.

O trabalho de pesquisa da Codeplan foi a segunda pesquisa domiciliar realizada no Distrito Federal – a primeira ocorreu em 2004 – e é a principal fonte de informações socioeconômicas sobre as famílias do DF.

Também estiveram presentes na divulgação da PDAD de Brasília a gerente de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas da Codeplan, Iraci Peixoto; a coordenadora da Pesquisa, Mônica França; representantes da Associação Comercial do DF, e diretores e funcionários da Administração Regional de Brasília.

Leia aqui a íntegra da PDAD de Brasília


 

RAIO-X DE BRASÍLIA
214.529
habitantes 
53,7%
mulheres 
46,3%
homens 
72.177
domicílios 
60,9%
próprios 
26,8%
alugados 
3
pessoas por domicílio 
91,5%
trabalham e moram em Brasília 
49,7%
têm nível superior completo 
46,1%
trabalham na Administração Pública 
11,5%
trabalham no comércio
R$ 10.974
(17,6 salários mínimos)

é a renda média familiar  
88,8%
dos domicílios têm automóveis 
42,7%
dos domicílios têm dois ou mais automóveis