10/10/12 19:47
Atualizado em 17/5/16 às 14:13

Gama apresenta ações efetivas de desenvolvimento

Na série de entrevistas semanais com administradores regionais, Márcio Palhares de Oliveira expõe à AGÊNCIA BRASÍLIA um balanço de ações executadas no Gama desde o início de 2011


. Foto: Lula Lopes

No cargo desde 26 de março de 2012, o administrador do Gama, Márcio Palhares de Oliveira, conta que residir na região administrativa desde que nasceu lhe proporciona uma relação muito estreita com a comunidade. Segundo ele, ao completar 52 anos no próximo dia 12, o Gama continua investindo em avanços em todas as áreas para ampliar o número de equipamentos públicos e a quantidade de serviços prestados aos moradores. Na lista de ações executadas estão a instalação de Pontos de Encontro Comunitário (PECS), o início das obras da ciclovia e a construção do BRT, antigo Veículo Leve sobre Pneus (VLP).

Qual obra o senhor considera como a mais importante?

Acredito que a grande obra que o Gama está recebendo é a ciclovia, com 22 quilômetros de extensão. Esse investimento de quase R$ 5 milhões contornará toda a cidade. São dois trechos: o primeiro fica pronto na primeira quinzena de novembro, e o segundo até o início do próximo ano. Com a inauguração da obra, teremos a melhoria no trânsito, já que muitos cidadãos preferem o uso da bicicleta ao automóvel.

Há outras ações para melhorar a locomoção das pessoas?

Sim. Nós temos outra grande obra, o BRT, que reduzirá de 90 para 40 minutos o tempo de deslocamento dos moradores do Gama para o Plano Piloto. O investimento de R$ 530 milhões beneficiará também pessoas que residem em Santa Maria, Park Way e Entorno Sul. Cerca de 220 mil pessoas devem usar o novo transporte diariamente. Isso deve gerar cerca de seis mil empregos. A previsão é de que as obras sejam concluídas até o fim do primeiro semestre de 2013. Também iniciamos o recapeamento da Avenida dos Pioneiros, que deve ficar pronto em 2013. Outro trabalho, feito diariamente, é a operação tapa-buraco. A equipe da administração sai às ruas para desenhar um mapa das vias e fazer a manutenção. Além disso, é realizada a instalação de postes de iluminação e trocas de luminárias constantemente, o que torna mais seguro o trânsito de pessoas e carros.

O Gama tem recebido ações de revitalização e instalação de equipamentos públicos?

Sim. Nós temos um dos únicos Pontos de Encontro Comunitário (PEC) mistos instalado em frente à Associação de Deficientes da cidade. Ele atende tanto as pessoas com deficiência, quanto os moradores em geral. Além desse PEC, mais 14 foram instalados desde o ano passado, e mais três estão previstos para este ano. Também inauguramos uma praça, revitalizamos outra, fizemos a manutenção de parques infantis e de uma quadra poliesportiva. A programação inclui a manutenção de mais duas quadras de esportes neste ano e mais sete no ano que vem. Também foi realizada a extensão da rede de captação de água e desobstrução de bocas de lobo.

O que é feito para incentivar à prática de esporte, lazer e cultura?

O governador Agnelo Queiroz inaugurou, no ano passado, o centro olímpico da cidade, que atende cerca de 2 mil pessoas nas modalidades futebol de campo, vôlei, futsal, futebol de areia, entre outros. Também promovemos, em setembro, em parceria com a Coordenação Regional de Ensino, o Festival de Canção Estudantil do Gama. Mais de mil pessoas, entre professores, alunos, pais e comunidade, participaram do evento, que proporcionou a mostra de trabalhos artísticos e culturais por meio da música. Há também, por iniciativa da comunidade, o Jardim Comunitário, situado nas quadras 32 e 33 e 14/18 do Setor Oeste. O projeto, que funciona com apoio da administração, promove o plantio de grama e plantas às margens das calçadas.

Há ações sustentáveis para o Gama?

Sim. Criamos o projeto Agenda 21, em que são realizadas reuniões mensais para discutir projetos sustentáveis para a região administrativa. A Agenda 21 foi criada em maio e é um sucesso. Temos a participação de órgãos do governo e da sociedade civil. As demandas deliberadas pela comunidade são analisadas para possível execução.

E na área da Saúde?

Em parceria com a Secretaria de Saúde do DF, foi instalada uma Equipe Estratégia de Saúde em espaço da Administração Regional. Esse serviço funciona como um ponto de apoio, onde trabalha uma equipe composta por médico, enfermeiro e agente comunitário. Aproximadamente outros seis imóveis estão em fase de cessão para a ampliação do projeto.

Quais são os próximos projetos para a cidade?

Nós temos o projeto do Parque Vivencial e Urbano do Gama, uma reivindicação histórica dos moradores que será atendida. O espaço será dotado de infraestrutura e receberá urbanização, paisagismo, PEC, pista de skate, espelho d’água, quadra poliesportiva, pista de corrida, parque infantil e banheiros. Também queremos reformar o Cine Itapoã e assim criar um centro cultural para a cidade; pretendemos recuperar todas as quadras esportivas e construir oito estacionamentos, que já estão sendo licitados. Um campo sintético de futebol também será construído em 2013.