18/12/12 17:32
Atualizado em 18/12/12 às 17:32

Catedral de Brasília é reaberta ao público

Segunda fase das obras de restauração do monumento projetado por Oscar Niemeyer foi concluída. Entre as mudanças estão a troca de vitrais e a restauração da torre dos sinos


. Foto: Roberto Barroso

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, acompanhado da primeira-dama, Ilza Queiroz, e do vice-governador, Tadeu Filippelli, participou da missa de reinauguração da Catedral de Brasília, nesta terça-feira (18). A cerimônia, presidida pelo arcebispo Dom Sérgio da Rocha, marcou a conclusão da segunda fase das obras de restauração do monumento projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

Nessa etapa, foram realizadas a substituição de todos os vitrais, a reforma do campanário (torre que abriga o sino) e do batistério (estrutura para batismo) e a instalação de um sistema automatizado para limpeza do espelho d’água. O projeto também incluiu a restauração de obras de arte e a troca dos cabos de aço que sustentam os três anjos no interior do templo, o que permitirá o rebaixamento das esculturas.

O governador Agnelo Queiroz destacou a importância da restauração no monumento para a preservação de Brasília como Patrimônio Cultural da Humanidade. “É uma honra reinaugurar a nossa Catedral, linda e radiante, a tempo para as festas de Natal e fim de ano. Para nós, é uma alegria poder resgatar o projeto original de uma das obras preferidas de Oscar Niemeyer, que, com certeza, está orgulhoso neste momento”, afirmou.

A reforma foi iniciada em 2009 e até agora foram investidos R$ 20 milhões, em recursos do GDF e patrocínio da Petrobras. A primeira fase da reforma contemplou a pintura de toda a igreja, a recuperação das quatro estátuas dos Evangelistas, a reconstrução do espelho d’água e a revitalização da rampa de acesso e dos sinos. O projeto foi elaborado e executado pela Fundação Ricardo Franco.

De acordo com o arcebispo Dom Sérgio da Rocha, uma terceira fase, ainda sem data, vai finalizar a reforma. Estão previstas a construção da Capela do Santíssimo, Sacristia e novas salas, além da reforma dos banheiros. “Ainda temos trabalho pela frente. Nosso objetivo é preparar a Catedral para cumprir cada vez melhor o seu papel de acolhimento aos visitantes”, ressaltou o arcebispo.

Arquitetura que encanta – Centenas de fiéis participaram da missa de reinauguração e várias pessoas foram conferir as melhorias realizadas na Catedral, que ficou fechada para visitação durante quatro meses. A servidora pública Maria de Fátima, de 59 anos, fez questão de assistir à celebração. Para ela, o espaço ficou mais acolhedor após as reformas. “Ficou tudo muito bonito e aconchegante”, disse.

O publicitário Julio Filgueira, de 40 anos, acredita que as obras representam “a garantia de um legado para as futuras gerações”. Morador de Brasília há cinco anos, ele escolheu a Catedral para mostrar aos familiares, que vieram da Espanha para passar dois dias na cidade. “O lugar é luminoso, aberto, e tem uma aparência aquática muito bonita”, avaliou o estudante David Solano, de 29 anos. “As catedrais da Espanha são mais clássicas. Nesta, as curvas dão um toque especial”, comparou Elena Solano, também estudante, de 22 anos.

A Catedral de Brasília foi o primeiro monumento erguido na cidade. Em 1958, foi lançada a pedra fundamental da obra, inaugurada oficialmente em 1970. O templo é dedicado a Nossa Senhora da Conceição Aparecida, padroeira do Brasil e da capital do país.

Participaram da missa de reinauguração os secretários de Turismo, Luis Otávio Neves; de Administração Pública, Wilmar Lacerda; e de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda, Daniel Seidel; o presidente da Fundação Ricardo Franco, Jorge Armando de Almeida; e o gerente de Comunicação da Petrobras em Brasília, José Samuel Magalhães, entre outras autoridades.