10/6/13 18:30
Atualizado em 10/6/13 às 18:30

PM mostra à imprensa internacional preparativos para grandes eventos no DF

Correspondentes conferem treinamento do Bope, batalhão de cães e polícia de choque, que atuarão na Copa das Confederações e do Mundo


. Foto: Pedro Ventura – 10/06/2013

Brasília (10/6/13) – Correspondentes de meios da imprensa da China, Rússia, Estados Unidos, Cuba, Venezuela e Uruguai conheceram hoje os preparativos da Polícia Militar do DF para garantir a segurança durante os grandes eventos que Brasília receberá, como a Copa da Confederações e do Mundo, entre outros.

“A Polícia (Militar) pensou em todos os cenários (de distúrbios) possíveis e está preparada para qualquer eventualidade”, avaliou o jornalista da agência internacional de notícias Associated Press, com sede em Nova York, Marco Sibaja.

Ele e o restante de grupo –composto por profissionais que trabalham em rádio, canal de televisão, agências de notícias e jornais– puderam ver demonstrações de operações do Batalhão de Choque apoiadas pelos dois blindados Centurion, projetados e recém-adquiridos por essa força.

“É interessante, para nós, conhecer e compreender o trabalho da polícia”, disse o representante da agência cubana de notícias Prensa Latina, Leovani Garcia.

Os repórteres estrangeiros também acompanharam simulações de abordagens policiais com cães e como esses animais atuam na detecção de explosivos e drogas.

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) que, segundo a Secretaria de Segurança, é a “primeira linha de defesa imediata” em caso de ataques com armas ou artefatos químicos, biológicos e radioativos ou que resultam em reféns, levou os correspondentes até sua área de treinamento.

Eles conheceram robôs e equipamentos de enfrentamento a terroristas, sequestradores e resgate de vítimas mantidas em cativeiros, assim como desativação de bombas e invasão de áreas tomadas por criminosos (casas, prédios, etc).

O chefe de Comunicação Social da PM, coronel Zilfrank Antero, ressaltou ao grupo de estrangeiros que “a Polícia Militar estava preparada para grandes eventos mesmo antes de eles serem confirmados no Brasil”, e ressaltou que a tendência é o aprimoramento da segurança em Brasília.