24/3/15 19:37
Atualizado em 12/5/16 às 17:47

Coleta seletiva é suspensa temporariamente em cinco regiões administrativas

Contrato com prestadora de serviço termina nesta quinta-feira (26) e não será renovado

Será suspenso, temporariamente, a partir desta sexta-feira (27), o serviço de coleta seletiva na Fercal, no Itapoã, no Paranoá, em Planaltina e em São Sebastião. O motivo é o término do contrato com a Quebec, empresa responsável pelo recolhimento de materiais recicláveis. O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) estuda, agora, um novo modelo de atendimento nessas áreas.

O baixo volume de resíduos coletados nas cinco regiões administrativas vinha se mostrando inviável, tanto para a prestadora do serviço quanto para o governo do Distrito Federal. Para a empresa, a quantidade recolhida não era suficiente para cobrir os custos operacionais.

Para a administração pública, o alto investimento e baixo retorno, tanto no número de material recolhido quanto na qualidade do serviço prestado, revelaram um modelo operacional difícil de ser praticado. A baixa previsão orçamentária e a falta de tempo hábil para abrir nova licitação e contratar outra empresa obrigaram a suspensão temporária do serviço.

Apesar disso, o SLU orienta os moradores a manterem o hábito de separar os materiais recicláveis dos orgânicos, já que, em breve, a expectativa é desenvolver um novo modelo para o programa. “A população dessas áreas pode continuar separando o lixo, pois o serviço será útil para os catadores que ainda trabalham no Lixão do Jóquei”, orienta o diretor-adjunto do SLU, Paulo Celso dos Reis.

Coleta seletiva
Em 2014, antes da adoção da coleta seletiva em todo o Distrito Federal, o serviço era prestado apenas nas Asa Sul e Norte (Quadras 100, 200, 300, 400), em Brazlândia, no Cruzeiro, no Lago Norte, no Setor Militar Urbano e, parcialmente, no Setor de Embaixadas e em alguns pontos da Esplanada dos Ministérios.

A coleta foi ampliada em 17 de fevereiro de 2014. O sistema adotado foi o de coleta porta a porta, aquele em que o caminhão passa e recolhe o material deixado na frente de cada residência ou estabelecimento.

Mapeamento
O Distrito Federal foi dividido geograficamente em quatro lotes, atendidos pelas empresas CGC (Lote I), Valor Ambiental (Lotes II e IV) e Quebec (Lote III), por um prazo de 12 meses, com renovação de mais um ano e podendo se estender, por, no máximo, 60 meses, conforme a Lei 8.666, de 1993.

A Quebec venceu a concorrência pública nº 3/2013, que teve como objeto licitar a coleta, o transporte e a descarga de resíduos sólidos recicláveis. O contrato foi assinado em 26 de dezembro de 2013, com duração de um ano, e prorrogado por mais três meses, encerrando-se nesta quinta-feira (26).

Na época da licitação, somente a Quebec apresentou proposta para realização dos serviços na área de abrangência do Lote III. Portanto, não há segunda colocada para firmar novo contrato. Como esse lote é composto por outras regiões administrativas, a empresa CGC assumirá nesta sexta-feira (27) a coleta seletiva em Sobradinho I e II, no Lago Sul, no Jardim Botânico, no Lago Norte, no Varjão, além da área rural do DF.

Em 2014, o gasto do governo com a coleta seletiva executada pela Quebec foi de R$ 1.625.810,92. O valor global do contrato assinado com essa empresa teve um custo de R$ 4.228.752,00.

Coleta convencional
O SLU informa que a coleta convencional funciona normalmente nessas regiões, não tendo sido afetada. As rotas com dias e horários podem ser acessadas no site do órgão ou pelos telefones 3325-1531 e 3213-0153. A orientação é a que a comunidade fique atenta a esse cronograma. Caso o caminhão não faça a coleta, o cidadão deve recolher os resíduos de volta para casa e entrar em contato por telefone com o serviço.

Abrangência dos lotes

Lote I: Cruzeiro, Guará, Plano Piloto, SIA e Sudoeste/Octogonal.

Lote II: Candangolândia, Gama, Núcleo Bandeirante, Park Way (exceção das Quadras 3, 4 e 5), Recanto das Emas, Riacho Fundo I e II, Samambaia e Santa Maria.

Lote III: Fercal, Itapoã, Lago Sul e Jardim Botânico, Lago Norte, Paranoá, Planaltina, São Sebastião, Sobradinho I e II e Varjão, além da área rural de Brasília.

Lote IV: Águas Claras, Brazlândia, Ceilândia, Park Way (Quadras 3, 4 e 5), SCIA/Estrutural, Taguatinga e Vicente Pires.