26/6/15 20:45
Atualizado em 26/6/15 às 20:45

Duas toneladas de produtos irregulares e ilegais são apreendidas em Ceilândia

Uso inadequado do espaço público no comércio desperta furtos, que aquecem o mercado de drogas na região


. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Duas toneladas de mercadorias em situação irregular ou ilegal, no centro de Ceilândia, já foram apreendidas pela operação da Policia Militar do Distrito Federal (PMDF), em parceria com a Agência de Fiscalização (Agefis), a Polícia Civil, o Departamento de Trânsito (Detran) e a administração regional. Até a manhã desta sexta-feira, 34 pessoas haviam sido autuadas e levadas à 15ª DP de Ceilândia para prestar esclarecimentos — entre elas um homem com mais de 20 passagens pela polícia e um adolescente suspeito de ter praticado dois homicídios.

A ação, que começou na quarta-feira (24) e segue pelos próximos dias, combate o comércio irregular de produtos e o ilegal de drogas e artigos roubados.

De acordo com o capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM Maurício Herbert, comandante da operação, as lojas no centro de Ceilândia ocupam inadequadamente as áreas públicas, o que desperta o furto e a revenda desses produtos nas proximidades. Com o dinheiro da venda ilegal, os criminosos aquecem o mercado de tráfico de drogas da região. “Recomendamos à população que não compre produtos com preços muito abaixo do praticado pelo comércio legalizado”, alerta o policial, relacionando a prática à receptação, que é passível de punição penal.

Licença
Durante a vistoria, a Agefis atuou na limpeza urbana e na fiscalização de atividades econômicas, verificou se os empresários invadiram a área pública, retirou a poluição visual de faixas e cartazes, recolheu lixo orgânico e entulhos, coibiu o comércio irregular de ambulantes na área pública e verificou as licenças de funcionamento dos estabelecimentos comerciais.

A ação contou com cerca de 50 policiais militares, seis civis, quatro agentes do Detran, quase 30 servidores da Agefis e outros 20 da Administração Regional de Ceilândia. Nos dias anteriores, a Subsecretaria de Ordem Pública e Social encaminhou funcionários para dar apoio à operação.

Duas viaturas fizeram o transporte dos suspeitos, enquanto um trator e dois caminhões se encarregaram de recolher e transportar entulhos e as mercadorias. Tudo o que foi apreendido fica retido pela Agência de Fiscalização até a apresentação das notas fiscais para devolução.

Águas Claras
Nessa quinta-feira (25), fiscais da Agefis interditaram um lava-jato em Águas Claras que, apesar de já ter sido notificado e multado, ainda operava irregularmente. A agência também apreendeu mercadorias de cerca de dez barracas que vendiam alimentos sem permissão nas três estações de metrô da região. 

Veja a galeria de fotos: