27/6/15 15:59
Atualizado em 12/5/16 às 17:50

Riacho Fundo II ganha terminal de ônibus

Plataforma tem dez vagas para embarque e desembarque. Até o fim do ano, governo entrega mais sete estruturas semelhantes em outras regiões administrativas


. Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

 

linhas do terminal do riacho fundoII AgenciaBrasiliaFoi inaugurado pelo governador Rodrigo Rollemberg, neste sábado (27), o terminal de ônibus do Riacho Fundo II, que passa a funcionar diariamente das 5h20 à 00h40 e deverá atender cerca de 40 mil pessoas. A plataforma, localizada na QS 18, é a primeira de uma série a ser entregue à população de Brasília ainda neste ano. A obra mais avançada é a de Sobradinho II, segundo o chefe da Unidade Especial de Gerenciamento do Programa de Transporte Urbano, da Secretaria de Mobilidade, Jorge Nazaré. “Estamos em fase de finalização e limpeza. Provavelmente, essa será a próxima a ser inaugurada.”

Além de Sobradinho II, até setembro estão previstos novos terminais na QNR de Ceilândia e no Gama Leste. E mais quatro devem ser entregues em 2015: Samambaia Sul e Norte e Recanto das Emas I e II. “Uma plataforma própria para embarque e desembarque tem impacto imenso na região administrativa. Todos ganham: passageiros e funcionários das empresas de ônibus”, afirma a secretária-adjunta de Mobilidade, Sônia Haddad.

Antes da inauguração, moradores do Riacho Fundo II utilizavam um espaço improvisado. “Os ônibus e os passageiros viviam no meio do barro, sem segurança alguma”, conta Sônia.

Para o autônomo Francisco Ivan, de 27 anos, “com o terminal vai ficar mais fácil a locomoção de um lado para o outro”. A estrutura inaugurada hoje foi desenhada de forma a abreviar o tempo de embarque e de desembarque de cada veículo. “Os motoristas não precisam dar a marcha a ré porque vão parar paralelamente à plataforma. Além disso, há espaço suficiente para manobrar ao sair da vaga”, explica Nazaré. Somente o fato de não dar marcha a ré reduz o tempo em 2 minutos em cada parada, segundo o chefe da unidade.

O local tem dez pontos de embarque e desembarque e 40 vagas de estacionamento para os veículos de transporte público das empresas que utilizam o terminal e atenderão em 11 linhas. Inclui ainda banheiros, lanchonetes e bicicletário (20 vagas). Os funcionários das empresas terão sala exclusiva. “Essa foi uma reivindicação dos rodoviários para que tivessem onde sentar, fazer refeições e descansar entre uma viagem e outra”, ressalta Sônia Haddad.

“O que nós estamos vendo aqui hoje é o início daquilo que queremos para o transporte coletivo de Brasília. São terminais confortáveis, uma operação moderna com redução do tempo de espera e melhoria da qualidade e do conforto para a população”, disse o secretário de Mobilidade, Carlos Tomé.

Participaram também da inauguração os secretários de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade; o presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab), Gilson Paranhos; o chefe da Casa Militar, coronel Cláudio Ribas; o diretor-geral do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), Clóvis Barbará; o administrador do Riacho Fundo II, Francisco Vicemar Medeiros; deputados distritais e lideranças comunitárias.

Plano de Transporte Urbano
A construção e a reforma de terminais de ônibus fazem parte do Plano de Transporte Urbano — que envolve também ações como desenvolvimento de transportes não motorizados, capacitação de prestadores de serviço, alargamento de pontes e construção de passarelas.

O plano é totalmente custeado com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), na ordem de 176 milhões de dólares. Neste ano, o governo de Brasília recebeu a última parcela do incentivo, R$ 33 milhões. Desse montante, cerca de 55% serão usados para concluir as construções e as reformas dos terminais. Estão sendo reformadas nove plataformas: Guará I e II, Núcleo Bandeirante, Ceilândia (P Sul), Paranoá, Taguatinga (M Norte), Taguatinga Sul, Planaltina e Cruzeiro Novo. Todas elas ficarão prontas em 2016.

Veja galeria de fotos: