Fale com o Governo Ações em Destaques

13/8/15 às 03:12, Atualizado em 12/5/16 às 17:52

Governo vai analisar proposta para doar leão que vive no Zoológico de Brasília

Secretaria do Meio Ambiente recebeu ofício nessa quarta-feira (12) da Associação Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos, de São Paulo

Mariana Damaceno, da Agência Brasília


. Foto: Andre Borges/Agência Brasília

A Secretaria do Meio Ambiente recebeu, nessa quarta-feira (12), a proposta formal da Associação Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos, de São Paulo, para a doação do leão Dengo. Ele chegou à Fundação Jardim Zoológico de Brasília em 21 de julho de 2011 com problemas de desenvolvimento corporal causados por má alimentação e por falta de qualidade no confinamento anterior em um circo.

O secretário André Lima diz que, antes de ser tomada qualquer decisão, é necessário avaliar quesitos jurídicos, técnicos e veterinários, além de obter autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a transferência. “Não existe objeção do governo a uma doação do Dengo, desde que haja condições melhores de tratamento do que as que ele já recebe aqui.” O objetivo é garantir que a viagem seja segura para o animal, que está com a idade avançada. Segundo Lima, ainda será avaliada a possibilidade de que outras instituições manifestem interesse.

Dengo tem quase 16 anos, quando, segundo biólogos do zoo, a expectativa de vida dos leões criados em cativeiro é, em média, de 18 anos. Pelo fato de ser idoso, a hipótese de ele ir para um santuário não está descartada. O felino ocupa um recinto de tratamento com 77 metros quadrados, onde é acompanhado diariamente, em esquema de plantão, por uma equipe de veterinários, biólogos e zootecnistas. Desde que chegou, nunca foi colocado em área de exposição. 

Inspeções
Para o vice-governador Renato Santana, a doação só é válida se for totalmente positiva para o animal. “Ele nunca teve histórico de maus-tratos no Zoológico de Brasília e está vivo graças aos cuidados que a equipe de profissionais tem tido com ele desde a sua chegada.” Neste ano, pelo menos três inspeções, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, do Conselho Regional de Medicina Veterinária e da Vigilância Sanitária, constataram as boas condições de tratamento dos bichos no zoológico.

Dengo chegou a Brasília depois que o zoológico de Niterói, no Rio de Janeiro, fechou por falta de licença para funcionar. Desde então, o leão, que tem aids felina além da doença ósseo-metabólica, não fica exposto, pois não pode ter contato com outros animais.

Veja a galeria de fotos:

 

 

 

Últimas Notícias