8/6/16 15:02
Atualizado em 8/6/16 às 17:10

Fábrica Social ganha laboratórios de informática

As unidades foram abertas com 70 computadores e máquinas de costura doados durante visita da primeira-dama da China, Cheng Hong, em 2015

A Fábrica Social agora conta com dois laboratórios de informática. Isso porque, em maio de 2015, durante visita da primeira-dama da China, Cheng Hong, o país doou ao programa 30 computadores de mesa e 40 máquinas de costura. Os equipamentos foram entregues em março deste ano e estão sendo utilizados pelos alunos desde então.

Os laboratórios, um em cada unidade da Fábrica Social, têm 45 computadores e foram montados graças à doação. Na manhã desta quarta-feira (8), representantes da embaixada da China no Brasil visitaram os espaços ao lado da colaboradora do governo Márcia Rollemberg e do secretário do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Joe Valle.

Segundo o subsecretário de Integração das Ações Sociais da pasta, Célio Silva, todos os alunos passarão por aulas nos novos centros. “Noções de informática são uma exigência do mercado em qualquer área de conhecimento.” De acordo com Márcia Rollemberg, os laboratórios marcam o início da inclusão digital dos alunos do programa. “Cria-se um novo conceito na Fábrica Social, que pode mudar a vida dessas pessoas.”

Máquinas e computadores

Com a doação, a Fábrica Social soma agora 580 máquinas de costura, entre overlocks, galoneiras e de costura reta. As que foram entregues em março são mais modernas, com comandos eletrônicos e digitais.

Izaldina Silva, de 59 anos, se emocionou ao contar à Márcia que estar entre as participantes do programa é a realização de um sonho. “Eu nunca tinha visto uma máquina de costura na vida. Quero aprender a fazer bolas, camisetas e bonés”, contou. A moradora de Samambaia está sem emprego e espera ajudar nas despesas de casa, produzindo o que aprender no local.

Inscrições

Atualmente, são 298 alunos. Em 6 de junho, foi aberto processo seletivo para preenchimento de outras 1,4 mil vagas. As inscrições, por meio do telefone 156, podem ser feitas por moradores de Brasília inscritos no Cadastro Único para programas sociais do governo federal. É preciso ter no mínimo 16 anos de idade e renda familiar per capita de até R$ 154, além de nunca ter participado dos cursos. O sorteio dos participantes será no dia 29.

De janeiro a março, 427 pessoas que participaram dos cursos conseguiram emprego, e 120 alunos foram qualificados.

Estiveram na visita o ministro-conselheiro da Embaixada da China, Wang Wei — representando o embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang; o secretário do Setor Industrial da China, Shao Weitang; o secretário-adjunto do Trabalho, Thiago Jarjour; e o administrador da Estrutural, Evanildo Macedo.

Edição: Gisela Sekeff

Galeria de Fotos

Fábrica Social ganha laboratórios de informática