20/7/16 20:40
Atualizado em 8/12/16 às 14:15

Saúde confirma dengue em 16.764 moradores de Brasília

Segundo informações do boletim divulgado nesta quarta-feira (20), seis regiões administrativas concentram 57% dos casos

Desde janeiro, foram confirmados 16.764 moradores de Brasília com dengue, doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. A informação está no Informativo Epidemiológico nº 29, da Secretaria de Saúde, divulgado nesta quarta-feira (20). De acordo com o levantamento, outras 2.164 pessoas, de outras unidades da Federação, receberam o diagnóstico na rede pública do Distrito Federal. O boletim traz os casos registrados até 16 de julho.

Como nas semanas anteriores, Brazlândia foi a região administrativa com o maior número de infectados — 1.926. Também tiveram mais incidência: Ceilândia (1.834), São Sebastião (1.673), Taguatinga (1.376), Planaltina (1.373) e Samambaia (1.354). As localidades somam 9.536 confirmações, o que equivale a 57% do total.

Além dos casos confirmados, a Saúde notificou 22.087 pessoas com a suspeita da doença. Dessas, 19.693 são de Brasília e 2.394, de fora do DF.

Do balanço anterior para o de hoje, houve aumento de 280 casos confirmados da doença. No entanto, de acordo com a secretaria, o número não se refere apenas a novos registros na última semana, já que a maior parte é de ocorrências ao longo do ano que ainda não haviam sido computadas.

Não há novos registros de morte provocada pela doença. Durante todo o ano, 27 pessoas foram classificadas com dengue grave (a hemorrágica). Dessas, 13 morreram. No caso dos óbitos, a Saúde notifica somente as ocorrências em moradores locais. A medida, segundo a secretaria, é para evitar divergências no banco de dados do Ministério da Saúde.

Casos de zika vírus e de febre chikungunya em Brasília

O informativo também apresenta os casos do zika vírus e da febre chikungunya, outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Desde janeiro, foram 175 moradores de Brasília registrados com zika. Desses, 32 são de Taguatinga; 22, do Plano Piloto; 11, de Águas Claras; e 11 do Lago Sul.

Entre dezembro de 2015 e 16 de julho, a secretaria registrou 36 grávidas com o vírus — 23 moradoras do DF; 12, de Goiás e 1, de Mato Grosso. Até 16 de julho, 14 mulheres tiveram bebês sem nenhuma intercorrência.

A febre chikungunya foi confirmada em 133 residentes de Brasília e em 8 de outras unidades federativas.

Acesse a íntegra do Informativo Epidemiológico nº 29.

Edição: Raquel Flores