3/8/16 21:07
Atualizado em 5/9/16 às 16:51

Centro Legal chega a Taguatinga

Durante fiscalização de irregularidades em hotéis nesta quarta (3), foram encontrados dois foragidos e 30 gramas de maconha. Ação do governo de Brasília para revitalizar áreas centrais do Plano Piloto será levada para outras regiões administrativas

Dois fugitivos da polícia foram presos e 30 gramas de maconha, apreendidos, durante a primeira ação do Centro Legal em Taguatinga, na tarde desta quarta-feira (3). Parte do programa Viva Brasília – Nosso Pacto pela Vida, a iniciativa do governo de Brasília para revitalizar a Rodoviária do Plano Piloto e o Setor Comercial Sul, que começou no ano passado, será levada para outras regiões administrativas.

Dois fugitivos da polícia foram presos e 30 gramas de maconha, apreendidas, durante a primeira ação do Centro Legal em Taguatinga.
Dois fugitivos da polícia foram presos e 30 gramas de maconha, apreendidos, durante a primeira ação do Centro Legal em Taguatinga. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Quarenta servidores de oito órgãos fiscalizaram irregularidades em hotéis próximo ao centro de Taguatinga. Os dois foragidos e a droga foram encontrados em um estabelecimento na CSA 2, Lote 2. Os hóspedes deverão sair imediatamente.  O local, autuado e interditado, também não estava de acordo com as normas de segurança e de higiene apontadas pela Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, da pasta da Segurança Pública e da Paz Social, e pela Diretoria de Vigilância Sanitária, da Secretaria de Saúde.

As equipes fizeram buscas em outros quatro hotéis; três deles foram notificados por irregularidades elétricas e sanitárias. Os proprietários terão dez dias para regularizar a situação. Caso contrário, deverão pagar multa no valor mínimo de R$ 2 mil.

As equipes fizeram buscas em outros quatro hotéis; três deles foram notificados por irregularidades elétricas e sanitárias
As equipes fizeram buscas em outros quatro hotéis; três deles foram notificados por irregularidades elétricas e sanitárias. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

O capitão da Polícia Militar Renato Moreira, da Subchefia da Ordem Pública e Social do Distrito Federal, da Casa Militar, conta que os locais foram escolhidos após seis meses de investigação. “Estatísticas mostram quais são as áreas com mais incidência criminal, o que chamamos de manchas.” Segundo ele, as principais ocorrências são de tráfico de drogas, lesão corporal, roubo e furto a pedestres.

Também participaram da operação a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis), a Administração Regional de Taguatinga, o Corpo de Bombeiros Militar e a Diretoria de Vigilância Ambiental, da Secretaria de Saúde.

Edição: Raquel Flores

Galeria de Fotos

Centro Legal chega a Taguatinga