16/8/16 22:51
Atualizado em 5/12/16 às 16:20

Rollemberg leva ao Planejamento propostas para melhorar finanças do DF

Em reunião com o ministro Dyogo Oliveira na noite desta terça (16), governador de Brasília apresentou estudo sobre repasses do governo federal ao Fundo Constitucional e sobre crédito a que o Executivo local tem direito relacionado à previdência de servidores transferidos

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, passou o início da noite desta terça-feira (16) reunido com o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira. Depois de se encontrar à tarde com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e com o presidente da República em exercício, Michel Temer, em companhia de outros chefes de Executivo, Rollemberg levou ao ministro as possibilidades que o governo local encontrou para melhorar a situação financeira do DF e assim discutir os reajustes salariais pleiteados pelas Polícias Civil e Militar e pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal.

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, o governador Rodrigo Rollemberg, e os secretários de Fazenda, João Antônio Fleury, e de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos
O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, o governador Rodrigo Rollemberg, e os secretários de Fazenda, João Antônio Fleury, e de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Acompanhado pelos secretários de Fazenda, João Antônio Fleury, e de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos, e pela procuradora-geral do DF, Paola Aires Corrêa Lima, Rollemberg apresentou um estudo técnico que inclui análise dos repasses feitos pelo governo federal ao Fundo Constitucional desde 2002. “Levantamentos mostram que, desde que o fundo foi criado, o governo federal repassou valores menores do que o deveria, que atualmente estariam na ordem de R$ 1 bilhão”, explicou Fleury.

Além disso, segundo o secretário de Fazenda, o governo local teria um crédito com o governo federal de cerca de R$ 700 milhões, referente à previdência de servidores que foram transferidos de um poder para o outro — da instância local para a federal. Na semana que vem, Fleury vai se reunir com representantes do ministério para discutir o andamento das propostas.

De acordo com o secretário de Fazenda, o Distrito Federal tem um déficit financeiro projetado em R$ 1 bilhão até o fim do ano, sem incluir a concessão dos reajustes pleiteados pelas forças de segurança.

Edição: Raquel Flores

Galeria de Fotos

Rollemberg leva ao Planejamento propostas para melhorar situação financeira do DF