3/11/16 10:42
Atualizado em 3/11/16 às 15:55

Área pública no Guará é desocupada

Barracos de madeirite e telha estão distribuídos por quatro pontos na região administrativa. As estruturas foram montadas por catadores de material reciclável

Uma operação de vários órgãos do governo de Brasília começou a retirar edificações irregulares de área pública no Guará. Os barracos de madeirite e telha estão nas Quadras QE 1 (Lucio Costa), QE 34 e QE 38 e na Entrequadra 26/28.

A maior parte delas estava na QE 38, onde cerca de 30 mil metros quadrados foram desocupados.
A maior parte das edificações irregulares estava na QE 38, onde cerca de 30 mil metros quadrados foram desocupados. Foto: Tony Winston/Agência Brasília

De acordo com o administrador regional André Brandão, a ação foi motivada por denúncia da população via ouvidoria (telefone 162) e diretamente na administração. “As ocupações estão bem no início e é fundamental essa operação agora para que não haja expansão”, destacou.

A maior parte delas estava na QE 38, onde cerca de 30 mil metros quadrados foram desocupados. A maioria das edificações foi construída por catadores de material reciclável, que usavam a área também para armazenar resíduos e entulho. “Há muito lixo espalhado, o que pode facilitar a proliferação de insetos e de animais causadores de doenças, como ratos e mosquitos Aedes aegypti”, alertou o administrador em relação à preocupação de eliminar possíveis focos de dengue, de zika vírus e de febre chikungunya.

Nesse mesmo local, foram desconstituídas estruturas que serviam como currais, onde vários cavalos ficavam guardados sem condições de higiene. A Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural estava no local, mas não precisou agir em relação aos animais, uma vez que os próprios responsáveis trataram de encaminhá-los a outros lugares.

De acordo com a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis), as retiradas seguirão, pelo menos, até amanhã, uma vez que a quantidade de entulho é grande. A Subchefia de Ordem Pública e Social, da Casa Militar, em parceria com Polícia Militar garantiu a segurança da operação. A Companhia Energética de Brasília (CEB) desfez uma ligação de energia irregular que abastecia todo o perímetro.

A ação desta manhã também contou com o Serviço de Limpeza Urbana (SLU), o Corpo de Bombeiros Militar e a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap). Quarenta servidores participaram da atividade com o apoio de duas pás mecânicas e seis caminhões, além das viaturas das forças de segurança.

Edição: Paula Oliveira

Galeria de Fotos

Área pública no Guará é desocupada