16/12/16 13:51
Atualizado em 16/12/16 às 15:08

Viveiro do Lago Norte terá plantio comunitário neste sábado (17)

Atividade será na QL 4/6, em frente ao espaço, das 14 às 17 horas

Moradores do Lago Norte, associações, igrejas e voluntários do viveiro comunitário da região administrativa poderão participar do plantio de 300 mudas de espécies neste sábado (17). Com o apoio de grupos de escoteiros e promovida pela administração regional, a atividade ocorrerá na QL 4/6, das 14 às 17 horas. No encerramento haverá um ato ecumênico.

Serão cultivadas espécies como angico, aroeira, barriguda, ingá-de-metro, ingá-de-bola, jacarandá, jatobá, juçara, landim, mutamba e xixá.

Projeto Ecotrilhas da Serrinha do Paranoá

Na ocasião, será lançado o projeto Ecotrilhas da Serrinha do Paranoá, região com microbacias hidrográficas que abastecem a porção norte do Lago Paranoá. Em parceria com o Instituto Oca do Sol e a Fundação Banco do Brasil, ele será desenvolvido ao longo de 2017, com o mapeamento e a sinalização das trilhas de turismo e esporte da Serrinha, bem como das nascentes, dos córregos e da cachoeira do Urubu.

Cerca de 10 mil espécies do Cerrado também vão ser identificadas. O Ecotrilhas visa ainda reorganizar as brigadas comunitárias de combate a incêndios florestais.

Capacidade para produzir até 40 mil mudas por ano

Inaugurado em 3 de julho de 2015, o viveiro tem capacidade para produzir até 40 mil mudas por ano. Ele foi criado para atender à demanda de plantio de espécies do Cerrado — baru, cagaita, ipê e pequi, por exemplo — nos parques do Distrito Federal. Mas o lugar tornou-se também um ponto de produção de mudas para reflorestamento de nascentes de córregos, como o do Urubu e o do Palha. A área de 639 metros quadrados é cedida pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap).

Plantio comunitário no Viveiro do Lago Norte
17 de dezembro (sábado)

Das 14 às 17 horas

Na QL 4/6

Edição: Raquel Flores