19/5/17 17:16
Atualizado em 22/5/17 às 11:26

Amamenta Brasília ganha aplicativo de celular para doadoras

Objetivo do software, lançado nesta sexta-feira (19) na Estação do Metrô de Águas Claras, é aumentar os estoques dos bancos de leite humano

O aplicativo de celular Amamenta Brasília, disponível para Android e IOS, foi lançado nesta sexta-feira (19) na Estação Águas Claras. Com o objetivo de aumentar o número de doadoras, o software da Secretaria de Saúde do DF marcou o Dia da Doação de Leite Humano, celebrado hoje no mundo inteiro.

Aplicativo facilita a localização das doadoras de leite materno, tornando a coleta mais rápida.
Aplicativo facilita a localização das doadoras de leite materno, tornando a coleta mais rápida. Foto: Andre Borges/Agência Brasília

A atividade faz parte da campanha de doação do leite materno, iniciada em 16 de maio. O lançamento também integra o programa Criança Candanga, do governo de Brasília, que dá prioridade a políticas públicas locais voltadas para a infância e a adolescência.

Com a nova tecnologia, as doadoras podem ser mais bem localizadas pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, que faz o recolhimento de leite. Com a geolocalização cadastrada pelas mulheres no aplicativo, a coleta fica mais rápida e eficiente.

A colaboradora do governo de Brasília Márcia Rollemberg, presente à cerimônia, ressaltou que se trata de mais uma etapa de modernização do processo de aleitamento materno. “Essa nova capacidade agiliza a comunicação e a localização das mães, das doadoras, para a coleta feita pelo Corpo de Bombeiros”, explicou.

"Essa nova capacidade agiliza a comunicação e a localização das mães, das doadoras, para a coleta feita pelo Corpo de Bombeiros" Márcia Rollemberg, colaboradora do governo de Brasília

Segundo a coordenadora de Aleitamento Materno e Banco de Leite Humano da Secretaria de Saúde, Miriam Santos, o objetivo é colocar a rede no século XXI. “Essa funcionalidade vai fazer avançar o número de doações, a partir do momento em que a gente chegar naquela mulher que quer doar”.

De acordo com dados da Secretaria de Saúde, até abril deste ano, foram visitados 9.292 domicílios, 228 a mais que em 2016, quando foram feitas 9.064 visitas.

Na plataforma da estação de metrô foi montado um estande de atendimento com informações sobre o cadastro. As interessadas obtiveram material sobre a funcionalidade do sistema do Banco de Leite Humano do DF.

Para o diretor-presidente Metrô-DF, Marcelo Dourado, esse meio foi uma boa escolha para divulgar a campanha, pois tem um fluxo de 100 mil pessoas por dia. “Essa informação tem que ser espalhada para que as mulheres saibam de que forma podem doar leite e ajudar outras mães.”

Cadastro no banco de leite humano do DF

Toda mulher que amamenta pode ser uma doadora. Basta ser saudável e não tomar medicamento que interfira na qualidade do leite.

O cadastro pode ser feito pelo aplicativo de celular, que já está disponível para Android e IOS, pelo site Amamenta Brasília ou pelo telefone 160, opção 4. O recolhimento é feito pelo Corpo de Bombeiros Militar do DF.

Edição: Vannildo Mendes

Galeria de Fotos

Amamenta Brasília ganha aplicativo de celular para doadoras