25/7/17 18:53
Atualizado em 26/7/17 às 20:01

Mais três edificações irregulares são removidas no Ezechias Heringer

Construções ocupavam ilegalmente área ambiental. Operação contou com 183 servidores do governo e cinco caçambas. Não houve resistência

Nesta terça-feira (25), a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) deu sequência à desobstrução da área pública do Parque Ecológico Ezechias Heringer, no Guará, no Setor de Oficinas Sul.

A ação, que teve início às 10h30 e terminou às 16 horas, resultou na desocupação de três edificações que ofereciam serviços de alvenaria e metais. A maior parte da área pública invadida é ocupada por comércios.

A operação contou com apoio de 183 servidores do governo de Brasília e com cinco caçambas para remoção de entulho. Diferentemente da intervenção da segunda-feira (24), quando habitantes tentaram impedir o cumprimento da ordem judicial, desta vez não houve resistência.

A desocupação, iniciada em 9 de janeiro deste ano, visa à proteção ambiental da Reserva Biológica (Rebio) do Guará e se estenderá pelo tempo necessário. Espécies endêmicas da fauna (que só ocorrem naqueles lugares), como o peixe pirá-brasília, e da flora, como as micro-orquídeas, estão sendo ameaçadas pela invasão do espaço.

Governo ofereceu às famílias aluguel social e inserção em programas habitacionais

Até 3 de julho, quando foram desocupadas 11 casas, 5.294.009 metros quadrados — de um total de 5.473.283 metros quadrados — foram desobstruídos. Após essa ação, a retirada das construções irregulares foi suspensa para que governo e ocupantes negociassem.

Foram oferecidos, entre outros benefícios, aluguel social — 51 das 66 famílias presentes no local têm esse direito — e inserção em programa habitacional, com atendimento garantido em até 180 dias.

Na segunda (24), as operações foram retomadas. Uma igreja e uma oficina foram retiradas da área irregular pelos agentes da Agefis. Alguns moradores tentaram impedir o cumprimento da ação.

Paus e pedras foram arremessados contra a tropa da Polícia Militar, e um policial foi ferido. Os envolvidos foram encaminhados à 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), para registro dos fatos.

O Edital nº 113, publicado no Diário Oficial do Distrito Federal em 20 de julho, solicita a 58 núcleos familiares a entrega de documentos para o órgão em até 45 dias.

A norma estabelece ainda que outras seis famílias, que já estavam inscritas no cadastro geral da companhia, migrem para a fila de vulnerabilidade.

Edição: Vannildo Mendes