26/7/17 19:12
Atualizado em 13/12/17 às 16:33

Casos prováveis de dengue no DF somam 3.981 em 2017

No ano passado, foram registradas 19.274 ocorrências no mesmo período. Números divulgados nesta quarta (26) representam queda de 79,72% da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti

Até a 29ª semana epidemiológica de 2017 (de 16 a 22 de julho), o Distrito Federal identificou 3.981 casos prováveis de dengue. Desse total, 3.487 são de moradores locais, e 494, de outras unidades da Federação.

Os números representam uma queda de 79,72% na incidência da doença em brasilienses comparada ao mesmo período de 2016. No ano passado, foram 17.191 registros.

Os dados constam do Informativo Epidemiológico nº 29, divulgado pela Secretaria de Saúde nesta quarta-feira (26).

Entre as regiões administrativas que mais apresentaram registros estão: Planaltina, Ceilândia, Samambaia, Gama, São Sebastião, Santa Maria, Taguatinga, Recanto das Emas, Estrutural e Guará.

Até o momento, houve oito casos graves e três mortes na capital federal em 2017. No ano passado, foram 39 e 21, respectivamente.

Casos de zika vírus e de febre chikungunya no DF

A febre chikungunya apresentou 129 incidências prováveis — 99 em moradores do Distrito Federal e 30 em habitantes de outras unidades da Federação. A maioria dos casos registrados no DF encontra-se em Taguatinga, em Ceilândia, em Samambaia, no Gama e no Guará.

A contaminação provável pelo zika vírus, outra doença transmitida pelo Aedes aegypti, foi registrada em 54 residentes do DF e em 17 do Entorno. A concentração de 89% dos casos de 2017 está em Santa Maria, no Gama, em Planaltina e em Samambaia.

Veja dicas da Secretaria de Saúde para evitar focos de proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, da chikungunya e do zika vírus.

Acesse a íntegra do Informativo Epidemiológico de Dengue, Chikungunya e Zika nº 29.

Edição: Raquel Flores