30/7/17 16:32
Atualizado em 30/7/17 às 16:53

Caesb inicia obras para interligar sistemas produtores do Descoberto e Santa Maria-Torto

A intervenção permitirá a transferência de 250 litros de água por segundo de um reservatório para outro até o fim desta semana

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) deu início, neste domingo (30), às obras que vão permitir uma nova interligação entre os Sistemas Produtores do Descoberto e Santa Maria-Torto.

Com a ntervenção, o reservatório do Descoberto poderá receber até 250 litros de água por segundo
A intervenção permitirá a transferência de 250 litros de água por segundo do Sistema Santa Maria-Torto para o Descoberto até o fim desta semana. Foto: Tony Winston/Agência Brasília 18.7.2017

O objetivo é permitir a transferência de 250 litros de água por segundo do Santa Maria-Torto para o Descoberto até o fim desta semana. Ao final das intervenções, essa quantidade sobe para 700.

Atualmente, uma adutora da Caesb é capaz de levar água do Descoberto para Santa Maria. Com a adaptação na rede, será possível fazer o movimento inverso.

“A captação emergencial do Lago Paranoá e o Bananal vão injetar 1,4 mil litros por segundo no Santa Maria, mas, com a interligação, metade vai para o Descoberto. Essas intervenções vão possibilitar isso”Maurício Luduvice, presidente da Caesb

Segundo o presidente da Caesb, Maurício Luduvice, esse é um passo importante para as obras dos subsistemas Bananal e Lago Norte.

“A captação emergencial do Lago Paranoá e o Bananal vão injetar 1,4 mil litros por segundo no Santa Maria, mas, com a interligação, metade vai para o Descoberto. Essas intervenções vão possibilitar isso”, explica.

Na quarta-feira (26), o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, firmou acordo com o chefe do Executivo de São Paulo, Geraldo Alckmin, para empréstimo de três válvulas e instrumentos de controle de pressão da Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo (Sabesp) para a Caesb.

As peças do governo paulistano vão ajudar nas obras, mas ainda não chegaram. Por enquanto, a Caesb toca as intervenções com material próprio.

Já existe pregão eletrônico em andamento para a compra das peças necessárias para fazer tais adaptações, mas a indústria pediu um prazo de até 90 dias para entregá-las.

Edição: Paula Oliveira