17/8/17 11:40
Atualizado em 10/11/17 às 10:03

Pendências na atualização cadastral da Codhab podem ser resolvidas até 31 de agosto

Prazo é somente para candidatos que iniciaram o procedimento até 31 de julho

O prazo para quem iniciou o processo até 31 de julho foi prorrogado para 10 de janeiro. Veja a matéria Codhab reabre prazo para atualização cadastral.

Candidatos que não finalizaram a atualização cadastral na Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab-DF) têm novo prazo para concluir o procedimento: 31 de agosto.

Candidatos que não finalizaram a atualização cadastral na Codhab-DF têm novo prazo para concluir o procedimento por meio do aplicativo para dispositivos móveis da empresa pública: 31 de agosto.
Candidatos que não finalizaram a atualização cadastral na Codhab-DF têm novo prazo para concluir o procedimento por meio do aplicativo para dispositivos móveis da empresa pública: 31 de agosto. Foto: Tony Winston/Agência Brasília-3.8.2016

A prorrogação é válida apenas para aqueles que deram início ao processo até 31 de julho. De acordo com a empresa pública, serão beneficiadas 11.533 pessoas com pendências.

A medida foi tomada pela companhia depois de identificar vários inscritos que iniciaram a atualização, mas não a concluíram ou estão com documentos pendentes.

Segundo o diretor imobiliário, Jorge Gutierrez, muitos fazem todo o procedimento mas esquecem de concluí-lo. Para isso, é necessário apertar o botão finalizar atualização cadastral, “que conclui o processo e emite a confirmação enviada por e-mail e uma notificação no próprio aplicativo.”

Quem não completar as exigências dentro do prazo não poderá participar do programa habitacional do DF, o Habita Brasília.

Para aqueles que ainda têm dúvidas, os atendimentos continuarão nos postos de assistência técnica e no Na Hora da Rodoviária do Plano Piloto. Já o envio de documentos deve ser somente pelo aplicativo, disponível para iOS e Android, e pelo site da companhia.

A atualização cadastral, que ocorreu de 3 de abril a 31 de julho, é uma exigência do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, que assinou termo de ajustamento de conduta (TAC) com a companhia. O objetivo é corrigir distorções e dar mais transparência à relação de candidatos a moradia no DF.