18/9/17 19:31
Atualizado em 19/9/17 às 9:23

Festival movimenta regiões administrativas com filmes infantis

Festivalzinho exibe sessões em Taguatinga, no Riacho Fundo I, no Gama e em Sobradinho. Entre os curtas selecionados estão três animações, um documentário e duas ficções

O Teatro de Sobradinho recebeu cerca de 150 alunos da rede pública para assistir ao Festivalzinho, mostra de filmes infantis do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Foram seis curtas-metragens nacionais exibidos na tarde desta segunda-feira (18).

Sessão do Festivalzinho levou 150 alunos da rede pública ao Teatro de Sobradinho nesta segunda-feira (18).
Sessão do Festivalzinho levou 150 alunos da rede pública ao Teatro de Sobradinho nesta segunda-feira (18). Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Dentro da extensa programação do festival, a mostra para crianças apresenta oito títulos. Seis deles são curtas-metragens e foram escolhidos pela curadoria da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis. Entre os selecionados estão três animações, um documentário e duas ficções.

Além do Cine Brasília e do Museu Nacional, o Festivalzinho está em exibição no Teatro da Praça de Taguatinga, no Salão Comunitário da Administração do Riacho Fundo I, no Centro de Ensino Médio do Gama e no Teatro de Sobradinho.

As sessões são gratuitas, abertas ao público em geral e voltadas, especialmente, para alunos da rede pública de ensino.

"A proposta é promover a formação de público e proporcionar a essas crianças um maior contato com o cinema nacional"Janaína André, coordenadora de Descentralização do Festival de Brasília

De acordo com a coordenadora de Descentralização do Festival de Brasília, Janaína André, o evento tem a preocupação de facilitar o acesso a regiões administrativas fora do Plano Piloto. “A proposta é promover a formação de público e proporcionar a essas crianças um maior contato com o cinema nacional”, ressalta.

A aluna Giovana Muriel Lustosa, de 10 anos, do 5º ano do ensino fundamental, aprovou a experiência. O que mais lhe chamou a atenção foi o filme que conta a história de um menino que colecionava sonhos, e não objetos. “É bom ir ao cinema porque se aprende outras coisas com os filmes.”

Kleber Henrique da Silva, de 8 anos, assistiu a sessão do Festivalzinho no Teatro de Sobradinho.
Kleber Henrique da Silva, de 8 anos, assistiu à sessão do Festivalzinho no Teatro de Sobradinho. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Para Kleber Henrique da Silva, de 8 anos, foi proveitoso ter ido ao festival. “É bom sair um pouquinho da escola e conhecer coisas novas”, comenta.

A coordenadora da Escola Classe Sítio das Araucárias, Hermínia Gomes Guedes, diz que as crianças enriquecem culturalmente quando saem da escola e assistem a filmes.

Para ela, levar os alunos para ver filmes brasileiros traz uma forma maior de identificação. “Eles se incluem naquela história a que estão assistindo. Qualquer um pode ser um ator. É uma riqueza trazê-los aqui”, acredita.

Os seis curtas-metragens — Meninos e Reis, No fim da trama, O Melhor som do mundo, Virando Gente, H2Obby e O jovem príncipe — serão exibidos de 18 a 22 de setembro.

Os dois longas-metragens convidados vão passar no Cine Brasília no fim de semana. São eles: Sobre rodas, no sábado (23), e O colar de Coralina, no domingo (24).

Edição: Vannildo Mendes

Galeria de Fotos

Festival movimenta Regiões Administrativas com filmes infantis