25/10/17 20:58
Atualizado em 9/11/17 às 15:56

Até 21 de outubro, Brasília teve 4.410 casos prováveis de dengue

Maioria das notificações deste ano (77,1%) se concentrou em 10 regiões administrativas, de acordo com boletim epidemiológico divulgado hoje (25)

Foram 11 mortes causadas pela dengue em 2017, e não 12, como informado no Boletim Epidemiológico nº 38 da Secretaria de Saúde. Segundo a pasta, uma investigação posterior revelou que um dos óbitos não foi provocado pela doença.

Até a 42ª semana epidemiológica de 2017, que terminou em 21 de outubro, foram registrados 4.410 casos prováveis de dengue no Distrito Federal. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Saúde nesta quarta-feira (25), por meio do Boletim Epidemiológico nº 38.

Do total, 3.890 pacientes são residentes do DF, enquanto os de outras unidades de Federação somaram 520 pessoas. A maioria dos casos se concentrou na faixa etária entre 20 e 49 anos de idade, o equivalente a 55% dos registros.

A predominância das ocorrências (77,1%) se encontrou nas regiões administrativas de Planaltina, Ceilândia, Samambaia, Gama, São Sebastião, Santa Maria, Taguatinga, Recanto das Emas, Estrutural e Guará.

No ano, foram identificadas 19 notificações graves e 11 mortes por dengue em residentes do DF. No mesmo período de 2016, foram 41 registros graves e 22 óbitos.

Febre chikungunya e zika vírus

Além dos números de dengue, o boletim apresentou dados sobre a febre chikungunya. Foram 135 casos prováveis, dos quais 111 em residentes do DF e 24 em moradores de outras unidades da Federação.

A maioria dos infectados é das regiões administrativas de Taguatinga, de Ceilândia, de São Sebastião, de Samambaia e do Guará.

Também segundo o boletim, o zika vírus teve 77 registros prováveis de infecção aguda — 58 em residentes do DF. As regiões mais afetadas foram Samambaia, Santa Maria, Taguatinga e Gama.

Edição: Vannildo Mendes