14/11/17 12:36
Atualizado em 14/11/17 às 14:15

Território Criativo qualifica desempenho de 1,2 mil empreendedores em dois meses

Programa da Secretaria de Cultura, em parceria com o Instituto Bem Cultural, já alcançou 16 regiões administrativas desde a criação em agosto

Lançado pelo governo de Brasília em agosto, o programa Território Criativo já impactou, por meio de ações de qualificação e articulação, cerca de 1.240 empreendedores — ativos ou futuros — da economia criativa.

Segundo a Secretaria de Cultura, todos eles foram beneficiados com orientação e aperfeiçoamento para o melhor desempenho das atividades no Distrito Federal.

Pioneira no País, a iniciativa da pasta, em parceria com o Instituto Bem Cultural e com apoio do Ministério da Cultura, concilia conteúdo de ponta com atuação em empreendedorismo de base.

850Total de horas de atividades do Território Criativo em 16 regiões administrativas do DF

Desde o lançamento, já foram promovidos dois ciclos de formação com o tema Como Transformar Criatividade em Negócios e Economia Criativa na Prática. Entre oficinas e consultorias, ministraram-se mais de 850 horas de atividades em 16 regiões administrativas do DF.

São elas: Ceilândia, Cruzeiro, Gama, Guará, Lago Norte, Núcleo Bandeirante, Paranoá, Planaltina, Plano Piloto, Recanto das Emas, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Sobradinho, Taguatinga e Varjão.

Na gestão atual, a cena criativa do DF ganha força com avanços obtidos por outros programas, como o Lugar de Cultura e o Cultura Educa, e com a recém-aprovada Lei Orgânica da Cultura .

Ciclos de formação preparam os profissionais para o futuro

Na primeira etapa, o Território Criativo percorreu 14 regiões com a oficina Como Transformar Criatividade em Negócios. Nela, ofereceram-se conteúdos voltados para a economia criativa e ao preparo para o futuro nos mais diversos campos de trabalho.

Participaram 284 profissionais, entre desenvolvedores, comunicadores, artistas, designers, artesãos e outros criadores.

Na segunda fase, com o ciclo de formação Economia Criativa na Prática, a adesão chegou à marca de 894 inscritos. Desses, após seleção baseada no potencial e na viabilidade das iniciativas, 317 empreendedores e potenciais passaram pela qualificação.

Com apoio do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empesas no DF (Sebrae-DF), o curso abordou temas como modelos de inovação, gestão de marcas, propriedade intelectual, design thinking, presença digital e modelagem de negócios

Ainda como parte do ciclo de formação, cerca de 120 empreendedores criativos receberão consultorias individuais, com o objetivo de aperfeiçoar e fortalecer aspectos importantes dos modelos de negócios desenvolvidos.

De acordo com a Secretaria de Cultura, o perfil dos participantes foi variado, mas registrou maior adesão de agentes que atuam nas áreas de artes visuais, música, cultura popular, publicidade, artesanato, gastronomia, design e moda.

Espaço na Biblioteca Nacional dá apoio logístico

Para apoio logístico, o programa conta com o Espaço Território Criativo, no anexo térreo da Biblioteca Nacional de Brasília, no Conjunto Cultural da República (próximo à Rodoviária do Plano Piloto).

Pensado para ser um ambiente de fomento e conexão, o local concentra atividades voltadas para formação, criação de oportunidades, trocas de boas práticas e de networking (rede de contatos profissional).

No mesmo ambiente, combina-se coworking (modelo de trabalho que se baseia no compartilhamento de espaço) com salas de reuniões e de cursos. Até agora, o lugar recebeu cerca de 40 propostas de uso e é frequentado regularmente por profissionais.

O espaço abrigou eventos com outros empreendedores além dos que passaram pelos dois ciclos formativos.

Novo ciclo de formação será nos setores de moda, audiovisual e música

No momento em que Brasília acaba de ser reconhecida pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como cidade criativa do design, o Território Criativo evidencia a importância da criatividade como ativo para o desenvolvimento socioeconômico local.

"Estamos dedicando recursos e esforços para apoiar os empreendedores criativos para que possam crescer e conquistar novos territórios e horizontes"Guilherme Reis, secretário de Cultura

“O interesse pela iniciativa e o expressivo número de propostas atendidas sinalizam um potencial imenso. Estamos dedicando recursos e esforços para apoiar os empreendedores criativos para que possam crescer e conquistar novos territórios e horizontes”, destaca o secretário de Cultura, Guilherme Reis.

Em breve, serão abertas inscrições para um novo ciclo de aceleração de empreendimentos criativos em moda, audiovisual e música. A meta é atender pelo menos cinco em atividade no DF em cada um dos setores mobilizados.

Os selecionados terão acesso a processos formativos, mentoria e ações de networking e conexão com o mercado, com vistas ao desenvolvimento de negócios criativos sustentáveis e de alto impacto.