4/12/17 18:37
Atualizado em 5/12/17 às 10:26

Controladoria na Escola tem reconhecimento do Fórum Nacional de Combate à Corrupção

Iniciativa da entidade vai integrar banco de propostas de prevenção ao crime e de fomento à integridade social e à cidadania

O projeto Controladoria na Escola recebeu, nesta segunda-feira (4), certificado de reconhecimento do Fórum Nacional de Combate à Corrupção, do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

A iniciativa, da Controladoria-Geral do DF, está entre os 22 projetos educacionais e de conscientização, mapeados por meio da campanha #TodosJuntosContraCorrupcao, avaliados como boas práticas de fomento à integridade social e à cidadania.

A certificação ocorreu em cerimônia na Procuradoria-Geral da República e integrou a programação referente ao Dia Internacional de Combate à Corrupção.

“É um reconhecimento da qualidade do projeto. Parabenizo os envolvidos na iniciativa, principalmente aqueles que têm sido os grandes protagonistas na auditoria cívica e na solução dos problemas nas escolas, que são os alunos”, disse o controlador-geral do DF, Henrique Ziller.

"Valorizar boas propostas é estratégico para que ações importantes se multipliquem pelo País e atinjam cada vez mais pessoas"Silvio Amorim, presidente do Fórum Nacional de Combate à Corrupção

A campanha é um dos resultados da Ação 6 da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (Enccla). Coordenada pelo CNMP, essa ação tem por objetivo, em 2018, consolidar propostas de prevenção à prática da corrupção.

Já foi lançado o edital de chamamento público para selecionar as melhores iniciativas — implementadas ou não — de prevenção primária à corrupção desenvolvidas pela sociedade civil. Foram recebidas mais de 90 propostas. As melhores iniciativas receberam certificado.

Os 22 projetos reconhecidos ficarão disponíveis em banco na internet para permitir a replicação das iniciativas e, portanto, para multiplicação dessas boas práticas.

Na seleção, foram consideradas ações direcionadas à formação de cidadãos conscientes e ativos no controle social. Um dos requisitos é que o projeto aponte o número de pessoas impactadas com cada atividade, os efeitos esperados e a possibilidade de implementação em outras localidades.

O presidente do fórum, Silvio Amorim, conselheiro do CNMP, destaca que a criação de repositório de projetos é boa ferramenta para enfrentamento à corrupção. “Valorizar boas propostas é estratégico para que ações importantes se multipliquem pelo País e atinjam cada vez mais pessoas”.