8/1/18 0:00
Atualizado em 20/2/18 à 15:14

Elefante Babu morre aos 25 anos

Ele apresentou quadro de prostração pela manhã de domingo (7) e, às 20h30, sofreu uma parada cardiorrespiratória na Fundação Jardim Zoológico de Brasília

O elefante Babu, que vem sendo acompanhado pela equipe técnica da Fundação Jardim Zoológico de Brasília desde as primeiras horas desse domingo (7), não resistiu a uma parada cardiorrespiratória e morreu por volta das 20h30.

O animal de 25 anos apresentou quadro de prostração pela manhã e vinha recebendo soro e medicação contra a dor e para a proteção do fígado.

Os técnicos do zoológico aguardavam o resultado dos exames de sangue para saber as causas do sintoma.

Um grupo de seis veterinários, dois zootecnistas e sete tratadores acompanham a necrópsia e investigam o que pode ter levado Babu ao óbito

Um grupo de seis veterinários, dois zootecnistas e sete tratadores acompanham a necrópsia e investigam o que pode ter levado Babu ao óbito.

“O reforço na equipe tem o objetivo de não perdermos nenhum detalhe neste momento”, explicou a superintendente de Conservação e Pesquisa do Zoo, Ana Raquel Gomes Faria.

Nessa etapa, os técnicos se concentram na análise e preservação de órgãos e ossos também para pesquisas.

Fragmentos da pele e amostras do sêmen de Babu também serão coletadas para inclusão no banco de germoplasma do zoológico.

A medida tem como função a preservação da informação genética do animal e pode servir futuramente até para inseminação artificial.

A possibilidade de aplicar a taxidermia (técnica que preserva a pele do animal para fins de educação ambiental) na carcaça de Babu será avaliada após a necrópsia.

Babu era considerado um jovem adulto. Elefantes em cativeiro costumam viver até os 60 anos. A partir dos 40 anos, são considerados idosos.

Com a morte de Babu, a atenção será redobrada nos cuidados com Belinha, com quem ele dividia o recinto. O monitoramento é fundamental para que ela sinta o menos possível a ausência do companheiro.