13/2/18 18:27
Atualizado em 15/2/18 às 11:11

Em clima tranquilo, brasilienses se divertem no último dia de carnaval

Programação desta terça-feira (13) tem blocos tradicionais nas ruas da cidade, como o Pacotão, na 302 Norte

Os principais blocos desta terça-feira de carnaval (13) iniciaram as atividades à tarde. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, o público da Baratona e do Raparigueiros era de 6 mil pessoas por volta das 17 horas.

Os principais blocos desta terça-feira de carnaval (13) iniciaram as atividades à tarde. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, o público da Baratona e do Raparigueiros era de 6 mil pessoas por volta das 17 horas.
Os principais blocos desta terça-feira de carnaval (13) iniciaram as atividades à tarde. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, o público da Baratona e do Raparigueiros era de 6 mil pessoas por volta das 17 horas. Foto: Andre Borges/Agência Brasília

A Baratinha começou às 15 horas e, uma hora depois, tinha cerca de 7 mil foliões. A Polícia Militar do Distrito Federal registrou apenas uma ocorrência de briga até o momento, no Baratinha.

Estatísticas preliminares da Polícia Civil do DF registraram, até as 16 horas, oito ocorrências relacionadas ao carnaval. Entre elas estão roubo, embriaguez ao volante, lesão corporal e porte de drogas.

Até as 6 horas, o Corpo de Bombeiros não precisou fazer atendimentos nos locais de folia.

O Departamento de Trânsito (Detran-DF) atua em seis blocos carnavalescos neste quarto dia de festa. Até o momento, não houve autuações.

Os eventos carnavalescos estão sendo acompanhados pelo Centro Integrado de Central de Integração de Multiagências (CIM), da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social.

"Quem faz o carnaval de Brasília ficar muito bom são as pessoas, e a gente está fazendo a nossa parte"Daniel Brito, que foi com os amigos ao bloco Pega Ninguém nesta terça (13)

Na 302 Norte, a banda Surdodum animou a concentração do bloco Pacotão. Com integrantes com deficiência auditiva, o grupo de percussão tocou clássicos do samba.

A servidora pública Roberta Haddad, de 33 anos, foi acompanhar o marido Márcio, convidado para tocar na banda, e aproveitou a festa ao lado dos filhos. “Os bloquinhos entre as quadras costumam ser mais tranquilos, principalmente quando se tem crianças.”

O bloco Pega Ninguém colocou centenas de pessoas para dançar no Setor Comercial Sul. Para as amigas Luana Lacerda, Isabel Gomes e Camilla Martins, foi o melhor bloquinho do dia. Elas já tinham passado pelo Pacotão e pelo Me dê Papai, na 404 Norte.

“Esse [Pega Ninguém] surpreendeu positivamente. Tem muita gente se divertindo, tem policiamento. Está bem tranquilo”, disse Luana.

Camilla, que é de João Pessoa (PB) e está passando as férias em Brasília, aprovou a festa brasiliense. “Está do mesmo nível que a do nordeste. Adorei.”

O Pega Ninguém também foi a escolha do quarteto Pedro Soares, Daniel Brito, Lucas Rodrigues e Ian Brasil. Com fantasias inspiradas no jogo de videogame Super Mario Kart, os amigos se divertiram no bloquinho do Setor Comercial Sul. “Quem faz o carnaval de Brasília ficar muito bom são as pessoas, e a gente está fazendo a nossa parte”, ressaltou o arquiteto Daniel.

Transporte público segue com reforço por causa dos blocos de rua no DF

O sistema rodoviário funcionará normalmente, e 150 ônibus extras reforçam a demanda.

Nesta terça (13), os coletivos seguem a tabela de domingo. Na Quarta-Feira de Cinzas (14), rodarão nos horários normais do sistema.

De sábado (10) até as 13 horas de hoje, de acordo com a Secretaria de Mobilidade, 28 ônibus foram alvos de vandalismo.

Na Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), há mudança nos horários de funcionamento. Nesta terça (13) o transporte funciona até a meia-noite. Amanhã (14), circula das 6 horas às 23h30.

Além disso, para atender o fluxo maior de passageiros, foi planejado um reforço do número de carros — pode chegar a até 16 em horários de pico. Quando a circulação for menor, o número será determinado com base em avaliação da quantidade de pessoas.

No sábado (10), de acordo com a companhia, sete trens foram alvos de vandalismo — um com quatro janelas quebradas e uma porta danificada; outro com extintor de incêndio deflagrado dentro do próprio trem. Em todos os casos, foram acionados os botões de emergência, o que fez com que os trens parassem o funcionamento.

Após manutenção, os sete voltaram a rodar. As ocorrências relacionadas a danos no domingo (11) e na segunda (12) estão sendo apuradas.

Limpeza pública durante o carnaval

Quanto à limpeza pública, equipes do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) recolheram 63,785 toneladas de resíduos deixados pelos foliões de sexta (9) a segunda (12). Pelo menos 515 garis participaram da operação, e 25.062 sacos foram utilizados na coleta do lixo.

Edição: Marina Mercante

Galeria de Fotos

Em clima tranquilo, brasilienses se divertem no último dia de carnaval

Baratona e Raparigueiros