28/6/18 12:39
Atualizado em 3/7/18 às 10:26

DF avalia impacto e resultados das políticas públicas na área cultural

Seminário inédito, nesta quinta (28) e sexta-feira (29), também marca apresentação do ID Cultura, a identidade digital dos agentes do setor

Profissionais, pesquisadores e gestores da área cultural estão reunidos em Brasília, nesta quinta (28) e sexta-feira (29), para trocar experiências e avaliar como dados e sistemas de informação podem fazer a diferença na elaboração de projetos, ações e políticas públicas.

Promovido pela Secretaria de Cultura, o 1º Seminário de Informações e Indicadores Culturais ocorre na Biblioteca Nacional de Brasília, com a parceria da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan).

O evento começou hoje de manhã e os interessados ainda podem se inscrever pelo site https://goo.gl/forms/eldOvaJXJ1Ig9wJZ2. Mas quem não fez o cadastro on-line poderá fazê-lo na hora.

São dois dias com mesas redondas, palestras, diálogos em formato de entrevista e oficina para interação e produção colaborativa. Haverá também troca de experiências sobre:

  • Usos de dados
  • Elaboração de indicadores
  • Construção de narrativas
  • Redes
  • Tecnologia no monitoramento
  • Avaliação da produção cultural

O investimento na cadeia produtiva da cultura é importante alavanca social e econômica do País. No entanto, segundo o secretário de Cultura, Guilherme Reis, agentes e gestores carecem de dados e pesquisas que permitam mensurar os benefícios gerados pelas ações de fomento do setor.

Nesse contexto, a coleta e sistematização de dados assume papel essencial, sobretudo na transparência do uso do dinheiro público, ao favorecer o monitoramento contínuo e a avaliação das políticas públicas culturais.

"O seminário é um espaço para reflexões e identificação de possibilidades de parcerias que favoreçam o uso de indicadores no cotidiano da produção e da gestão cultural"Guilherme Reis, secretário de Cultura do DF

A produção cultural, acrescenta ele, impacta a comunidade e o desenvolvimento econômico. “O desafio é coletar dados que permitam uma leitura mais detalhada para investigar, por exemplo, aonde os recursos chegam, qual é o retorno em tributos, quantos empregos são criados e qual é o perfil das pessoas que frequentam ações culturais”, explica.

Com o tema central Cultura na era da Informação e do Conhecimento, o seminário tem programação dinâmica, com a presença de convidados nacionais e internacionais.

“Sem dúvida o seminário é um espaço para reflexões e identificação de possibilidades de parceria local e regional que favoreçam o uso de informações e indicadores no cotidiano da produção e da gestão cultural”, ressalta Reis.

Apresentação do ID Cultura

Durante o evento também será apresentado o ID Cultura, cadastro único de todos os agentes culturais do DF. O serviço vai funcionar como uma espécie de identidade digital e agregará os dados cadastrais dos profissionais do setor em Brasília.

O cadastro é um importante passo para a implementação do Sistema de Informações e Indicadores Culturais do DF, previsto na Lei Orgânica de Cultura (LOC).

A ferramenta vai trazer uma série de benefícios para os agentes culturais, entre eles a simplificação do cadastro no banco de dados da Secretaria de Cultura.

O artista e o produtor poderão solicitar a qualquer tempo seu Certificado de Ente e Agente Cultural (Ceac) de forma rápida e desburocratizada. Não haverá mais necessidade, por exemplo, de fazer pessoalmente a entrega da documentação para esse cadastramento.

Além disso, o próprio agente poderá manter dados pessoais e documentos atualizados. O ID Cultura também está atrelado ao Mapa nas Nuvens, plataforma que agrega as informações de quem faz cultura em todo o DF.

1º Seminário de Informações e Indicadores Culturais

28 e 29 de junho (quinta e sexta-feira)

Das 9 às 19 horas

Na Biblioteca Nacional de Brasília

Inscrições: https://goo.gl/forms/eldOvaJXJ1Ig9wJZ2

Mais informações: (61) 3325-5212 ou 3325-6108

Programação de quinta à tarde e sexta-feira

Dia 28 (quinta-feira)

Das 14 às 16 horas – Mesa Referenciais para monitoramento, avaliação e tomada de decisão

Das 16h30 às 18 horas – Diálogos sobre sociedade do conhecimento: teias, redes e dados nas tomadas de decisão

Das 18 às 19 horas – Diálogos sobre cultura, tecnologia e futuro

19 horas – Apresentação do ID Cultura

Dia 29 (sexta-feira)

Das 9 às 10h30 – Diálogos sobre o papel da participação social na produção de dados

Das 10h30 às 12 horas – Oficina sobre produção colaborativa de dados e indicadores locais e comunitários: uma perspectiva para produtores culturais

Das 14 às 16 horas – Provocações sobre Inovação Social Digital: controle social e cidadania ativa

Das 16 às 17 horas – Networking Coffee: Você usa dados em suas ações estratégicas na cultura?

Das 17 às 18 horas – Palestra Sociedade Pólen: trabalho cultural em rede e capitalismo cognitivo