19/11/18 19:09
Atualizado em 19/11/18 às 19:09

Brasília adere aos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra mulheres

No Brasil, campanha da ONU começa em 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra. Atividades seguem até 10 de dezembro

Para reforçar as ações de proteção à mulher, a Secretaria-Adjunta de Políticas para Mulheres anuncia, nesta terça-feira (20), a adesão à campanha de 2018 da Organização das Nações Unidas (ONU) de combate à violência contra a mulher e lança 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres.

As atividades incluem capacitação de profissionais de saúde, mobilizações em hospitais e debate com a comunidade. A proposta é chamar a atenção da sociedade para os fatores que naturalizaram a agressão das mulheres, em especial, por companheiros, pais e parentes próximos.

No Brasil, a campanha tem início em 20 de novembro — Dia Nacional da Consciência Negra — para reforçar a necessidade de enfrentamento à discriminação, considerando a dupla vulnerabilidade da mulher negra.

75%Aumento de ocorrências de feminicídio no DF

No restante do mundo, a iniciativa começa no dia 25, o Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher, e vai até 10 de dezembro, data em que foi proclamada a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Os 16 dias de ativismo, de forma geral, têm por objetivo a conscientização e a mobilização da sociedade para que denuncie todos os tipos de violência praticados contra meninas e mulheres no Brasil e no mundo.

O enfrentamento contra o feminicídio é o principal objetivo, uma vez que a incidência deu um salto de 75% de aumento nas ocorrências no DF.

Em 6 de dezembro, os homens serão convocados a se envolver no combate à violência contra mulheres. O intuito da data, também chamada de Dia do Laço Branco, é conscientizá-los sobre o papel que precisam desempenhar para colaborar com o fim da discriminação e violência feminina.

7.851Notificações de violência sexual, psicológica, negligência, abandono e tortura

Dados da Secretaria de Saúde mostram que, em 2017 e 2018, houve 7.851 notificações de violência sexual, psicológica, negligência, abandono e tortura.

O calendário de atividades prevê 16 dias de palestras, debates, oficinas de comunicação sem violência e sessões terapêuticas, entre outras.

Além disso, nos centros de referência de assistência social (Cras) e nos centros de referência especializado de assistência social (Creas), serão veiculados vídeos educativos e documentários produzidos pela Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres.

Em 26 de novembro e 6 de dezembro, a Rodoviária do Plano Piloto receberá ações especiais de diversos órgãos do governo. Veja abaixo a programação.

A Secretaria-Adjunta de Políticas para Mulheres é subordinada à pasta do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

Origem dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres

A campanha foi criada em 25 de novembro de 1991, e o Brasil integra essa rede de enfrentamento desde 2003.

O dia foi escolhido como homenagem às irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa Mirabal, assassinadas em 1960 por se posicionarem contrárias ao regime do ditador da República Dominicana Rafael Trujillo.

DATALOCALHORÁRIOTEMACOORDENAÇÃO RESPONSÁVELPÚBLICO-ALVO
20/11/18Centro de Ensino Especial 1 de BrasíliaDas 8 às 12 hRoda de Mulheres: Metodologia ArcanaCentro Especializado de Atendimento à Mulher 4 / Coordenação de Enfrentamento à Violência contra as MulheresAlunas
20/11A definirDas 9 às 12 hRoda de Conversa: Conscientização e Prevenção à Violência contra as MulheresCoordenação de Políticas para MulheresComunidade local
21/11

 

EQS 112/312 Sul, Lote ADas 9 às 12 hOficina Jogos VioletaEstudante-UnB, parceria /Coordenação da Casa da Mulher BrasileiraServidores da COCMB
22/11EQS 112/312 Sul, Lote ADas 10 às 12 h

Das 14 às 16 h

O Poder do Feminino por meio das Terapias IntegrativasCoordenação da Casa da Mulher BrasileiraServidores da COCMB
22/11Centro de Ensino Especial 1 de BrasíliaDas 8 às 12 hRoda de Mulheres: Metodologia ArcanaCentro Especializado de Atendimento à Mulher 4 / Coordenação de Enfrentamento à Violência contra as MulheresAlunas
 

23/11

 

Auditório da Terracap

 

 

Das 10 às 12 h

Oficina de Comunicação Não Violenta (CNV)Coordenação da Casa da Mulher Brasileira/ Núcleo Judiciário da Mulher (NJM)Servidores da Secretaria-Adjunta de Políticas para Mulheres
 

24/11

 

Casa Jasmin

 

Das 9 às 17 h

Ação Jasmina: Atividades e Sessões TerapêuticasCoordenação de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres / Casa JasminUsuárias do serviço
 

25/11

 

Casa Jasmin

 

Das 9 às 17 h

Ação Jasmina: Atividades e Sessões TerapêuticasCoordenação de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres / Casa JasminUsuárias do serviço
 

27/11

Cras Varjão

Quadra 7, Conjunto D, 0-Lote 1a

 

 

Das 14 às 16 h

Palestra: Aspectos Psicológicos e Sociais sobre da Violência DomésticaCoordenação da Casa da Mulher Brasileira / Núcleo PsicossocialServidores da Seads – Cras e Creas
27/11Centro de Ensino Especial 1 de BrasíliaDas 8 às 12 hRoda de Mulheres: Metodologia ArcanaCentro Especializado de Atendimento à Mulher 4 / Coordenação de Enfrentamento à Violência contra as MulheresAlunas
27/11Ceam Planaltina10 h16 Dias de Ativismo:  A importância da autonomia econômica para a superação da violência, com oficina de produção de currículo e oficina de preparação para entrevista de empregoCentro Especializado de Atendimento à Mulher Planaltina / Coordenação de Enfrentamento à Violência contra as MulheresUsuárias do serviço
28/11EQS 112/312 Sul15 hTrabalho com o tema: FeminismoCoordenação da Casa da Mulher Brasileira / Núcleo PsicossocialMulheres do Grupo Vida Mulher
28/11Centro de Ensino Especial 1 de BrasíliaDas 14 às 17 h16 Dias de Ativismo: atividadeCentro Especializado de Atendimento à Mulher 4 / Coordenação de Enfrentamento à Violência contra as MulheresAlunas
29/11Ceam Planaltina10 h16 Dias de Ativismo: a importância da autonomia econômica para a superação da violência, com oficina de produção de currículo e oficina de preparação para entrevista de empregoCentro Especializado de Atendimento à Mulher Planaltina / Coordenação de Enfrentamento à Violência contra as MulheresUsuárias do serviço
29/11Ceam 102 SulDas 10 às 12 hProjeto Cuidar de Quem CuidaCentro Especializado de Atendimento à Mulher 102 / Coordenação de Enfrentamento à Violência contra as MulheresServidores
29/11Setor de Grandes Áreas, 915 Sul Templo da Legião da Boa VontadeDas 8 às 10 hPalestra sobre Violência DomésticaCoordenação da Casa da Mulher Brasileira / Núcleo Psicossocial/ LBVMulheres vítimas de violência
29/11Administração Regional do VarjãoDas 14 às 17 hRoda de Conversa: Conscientização e Prevenção à Violência contra as MulheresCoordenação de Política para MulheresComunidade Local
29/11Feira-Central de CeilândiaDas 10 às 12 hTeatro de rua e distribuição de material informativoCentro Especializado de Atendimento à Mulher Ceilândia /com parceria

Instituto Arcana

Público da feira
04/12Estação 112 Sul – Conselho do IdosoDas 10 às 12 hLaço Branco: Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as MulheresCoordenação de Política para Mulheres / Subsecretaria de Política para MulheresComunidade local
10/12Palácio do BuritiDas 9 às 12 hLançamento do 2º Plano Distrital de Políticas para MulheresSecretaria-Adjunta de Políticas para Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos / Subsecretaria de Política para Mulheres / Coordenação de Política para MulheresCDM e órgãos que atuam em prol da proteção da mulher