18/2/19 20:15
Atualizado em 21/2/19 às 11:21

SOS DF Saúde assegura agilidade aos serviços

Em 43 dias, a rede pública já apresenta outra realidade: pacientes atendidos e servidores valorizados

Os esforços do Governo do Distrito Federal (GDF) desde a posse do governador Ibaneis Rocha e o lançamento do SOS DF Saúde já podem ser sentidos pela sociedade. A reorganização da gestão proporcionou mais agilidade no atendimento, o reabastecimento da rede e trouxe bem-estar tanto ao paciente quanto ao servidor que atende.

No dia 7 de janeiro, o governador decretou situação de emergência na rede pública do DF e lançou o programa SOS DF Saúde. O objetivo foi reorganizar o funcionamento da Secretaria de Saúde e melhorar a assistência ao cidadão.

Uma das ações do SOS DF Saúde é a força tarefa-para a realização de cirurgias eletivas e de urgência/emergência. Em sete semanas, a rede pública de saúde realizou 8.752 procedimentos nos 14 hospitais do DF.

Há três anos aguardando por uma cirurgia de retirada de um cálculo renal, o mecânico Francisco das Chagas, 35 anos, enfim conseguiu realizar o procedimento. Desde 2016, entre uma crise e outra, ele foi avaliado como risco cirúrgico, ou seja, precisava fazer a cirurgia urgentemente, mas a precariedade da rede impossibilitou a intervenção.

O SOS DF Saúde deu melhores condições aos hospitais da rede e permite que as cirurgias sejam realizadas de forma mais célere. Assim, Chagas pôde se livrar de uma pedra de três centímetros que estava em seu rim. “Eu só tenho que agradecer o que fizeram por mim e tudo o que ainda estão fazendo. Agora vou me cuidar mais, tomar corretamente os medicamentos, me recuperar e voltar a trabalhar”, planeja.

Compra de medicamentos

Com a declaração de situação de emergência, o novo governo pôde também dar agilidade à aquisição de medicamentos e insumos. Um choque de gestão foi dado no abastecimento de insumos essenciais à rede pública de saúde e, atualmente, a rede tem 76% de abastecimento de medicamentos e 68% de materiais.

Desde o lançamento do programa, a Secretaria de Saúde abriu e publicou 28 pregões eletrônicos, reabriu e publicou outros 18 pregões referentes a 2018, concluiu 26 pregões iniciados em anos anteriores e fez o acompanhamento e condução de 58 pregões iniciados em anos anteriores. Além disso, elaborou 31 minutas de edital.

Entre os itens adquiridos estão órteses, próteses e materiais especiais, seringas, compressas de gaze, curativos e medicamentos. O objetivo é manter os estoques sempre cheios, evitando desperdício – de medicamentos e de recursos – e acabar com as compras emergenciais.

Outro exemplo foi a compra de 2,5 milhões de fitas glicêmicas para reabastecer o estoque da Farmácia Central da Secretaria de Saúde. O quantitativo é suficiente para suprir a demanda da rede de saúde pelo período de 12 meses. A compra também incluiu a aquisição de glicosímetro, aparelho usado para medir a concentração de glicose no sangue.

Valorização dos servidores

A valorização do servidor também é prioridade da nova gestão. Diversos pagamentos atrasados estão sendo colocados em dia. Entre as quitações, está o pagamento dos valores referentes ao Trabalho por Tempo Determinado (TPD).