19/3/19 11:18
Atualizado em 19/3/19 às 11:24

Mês da Mulher segue com atividades comemorativas

Ações, que acontecem nas unidades de Samambaia, Ceilândia e Estrutural, têm como um dos focos a discussão sobre formas de combater a violência contra a mulher

O Centro da Juventude da Estrutural abre a programação desta semana /Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

Na sequência das comemorações do Mês da Mulher, o GDF movimenta a semana com o evento Março Mulher: Gênero e Juventude, que, promovido pela Secretaria da Juventude, será aberto às 10h desta terça (19), no Centro de Juventude da Estrutural. Um dos focos da programação é debater as formas de combate à violência contra a mulher.

A primeira atração é uma rodada de filmes do projeto Curta Maria, elaborado pela professora Maria José Rocha, fundadora da Casa da Educação Anísio Teixeira. Alunos do último ano dos ensinos fundamental e médio de escolas públicas também participam desse projeto.

A mostra conta com a parceria do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), da Associação Brasileira de Psicanálise (Abepp), das regionais de ensino de Sobradinho I, Sobradinho II, Candangolândia e Park Way e do Centro Educacional 14 de Taguatinga. Após as exibições, será aberto um debate sobre Gênero e Juventude, conduzido por Graciele Reis, uma das especialistas do Centro Especializado de Atendimento à Mulher de Ceilândia.

Os filmes foram escolhidos por conterem, em seus roteiros, material que pode ser relacionado a alguns pontos da Lei Maria da Penha, tema abordado nos debates a serem realizados após a exibição. O objetivo é permitir aos estudantes envolvidos projeto uma reflexão sobre a violência doméstica.

Dados da violência

De acordo com levantamento da Secretaria de Segurança Pública, foram registrados, no ano passado, no Distrito Federal, 673 crimes contra a dignidade sexual (estupro, estupro de vulnerável e importunação sexual), contra 745 em 2017.

 Em relação aos casos de feminicídio – modalidade de homicídio qualificado quando o crime for praticado contra a mulher por razões da condição de sexo feminino –, foram 28 em 2018, contra 18 no ano anterior. Em 2018, 14.985 pessoas foram enquadradas na Lei Maria da Penha por violência doméstica; em 2017, 14.583.

* Com informações da Secretaria da Juventude