26/3/19 13:26
Atualizado em 26/3/19 às 17:12

Programa Embaixada de Portas Abertas recebe alunos de Ceilândia

Primeira-dama do DF, Mayara Noronha prestigiou nova edição do projeto que, desta vez, levou estudantes do Centro de Ensino Fundamental Boa Esperança à representação do Equador

Alunos de Ceilândia conhecem a história do Equador. Primeira-dama Mayara Noronha participou do evento. Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

Estudantes do Centro de Ensino Fundamental Boa Esperança, de Ceilândia, fizeram uma viagem no tempo e na história e conheceram um pouco da cultura e da geografia do Equador na manhã desta terça-feira (26).  Os 26 alunos participaram do Programa Embaixada de Portas Abertas.

A apresentação foi feita pelo embaixador Diego Antonio Rivadeneira Espinosa. A embaixatriz Ângela Beatriz Grijalba também recebeu os convidados. A criançada assistiu vídeos sobre o país, respondeu algumas perguntas, participou de brincadeiras e experimentou quitutes da culinária equatoriana.

Primeira-dama do Distrito Federal e representante do programa Embaixadas de Portas Abertas, Mayara Noronha disse ser gratificante a ação. “É uma satisfação grande estar aqui, assim como vocês. O projeto é de grande relevância porque é um momento dos estudantes se aproximarem da cultura do país”, afirmou a primeira-dama do DF. “Esse aprendizado vai repercutir por toda a vida deles”, considerou Mayara. A primeira-dama recebeu, de presente, chocolates e um chapéu de palha toquilla.

Para o secretário de Relações Internacionais do Distrito Federal, Pedro Luiz Rodrigues, o mais importante é a alegria das crianças. “Muitos deles nunca tinham vindo ao Plano Piloto. Agora saem de sua vida regular e têm a oportunidade de conhecer uma embaixada. E é muito bom vê-los sorrindo”, contou.

Experiência
O professor Jordanio Lúcio de Castro Vidal acompanhou os estudantes na visita. De acordo com ele, toda experiência que extrapola os muros da escola agrega conhecimentos. “Esse tipo de experiência desperta a curiosidade e traz significado”, comentou o educador.

Os estudantes também apoiaram a iniciativa. A.C, 12 anos, disse que já havia estudado sobre o Equador e que a visita à embaixada foi uma oportunidade de aprender mais sobre o país. Ele confessou ter gostado da palestra sobre o Equador, um dos dois países da América do Sul que não fazem fronteira com o Brasil. O outro é o Chile.

O programa é possível graças a uma parceria entre as secretarias de Educação e de Relações Internacionais e a TCB, empresa de ônibus que oferece o transporte dos alunos. De acordo com a Secretaria de Relações Internacionais, a escolha das escolas participantes é feita por indicação das Regionais de Ensino. A intenção é promover o intercâmbio cultural entre as escolas públicas e as representações diplomáticas sediadas no DF.  Dentre os critérios para a participação, a escola deve ser localizada em uma área de vulnerabilidade social e não ter participado do programa ainda. O lema da iniciativa é trazer o mundo para Brasília e Brasília para o mundo.

Em uma segunda parte da ação, é a escola que irá receber a Embaixada. No caso do Centro de Ensino Fundamental Boa Esperança, a visita está marcada para abril.

Galeria de Fotos

Programa Embaixada de Portas Abertas