15/5/19 19:07
Atualizado em 15/5/19 às 19:07

Estufa de 4,7 metros de altura aumenta produtividade e qualidade das hortaliças

Circuito de Olericultura da Emater-DF, na AgroBrasília 2019, apresenta os benefícios ao produtor rural durante os quatro dias do evento, bem como ensina técnicas de manejo nutricional e de irrigação

Com objetivo de reduzir o ciclo produtivo e melhorar a qualidade de hortaliças, o Circuito de Olericultura da Emater-DF, na AgroBrasília 2019, trouxe uma novidade neste ano. O produtor rural vai poder conferir a estufa de 4,7 metros de altura, que proporciona maior conforto térmico para as plantas, aumenta a qualidade e a produtividade de hortaliças, principalmente no período chuvoso. A AgroBrasília acontece entre os dias 14 e 18 de maio.

Com maior altura que as usuais, a estufa agrícola tem como vantagens o manejo da condição climática, adequando a temperatura, o que influencia diretamente na eficiência e funcionalidade da estrutura. “Cada hortaliça possui uma necessidade fisiológica diferente de temperatura, que muitas vezes pode não ser atingida em função do tipo de ambiente utilizado, além, é claro, da própria arquitetura das plantas”, ressalta a extensionista Adriana Nascimento, responsável pelo circuito.

De acordo com ela, o plantio em ambiente protegido permite a obtenção de produtos de elevado padrão e aumenta a produtividade. Na AgroBrasília, o agricultor vai receber as informações sobre a indicação do cultivo protegido, condições climáticas indicadas, vantagens e benefícios. Adriana ressalta que a estufa de altura maior já é difundida para culturas como tomate e pimentão.

O tomate, ao lado do pimentão, é a espécie que tem mostrado crescimento mais consistente nesse sistema e é uma alternativa muito rentável do setor. Questões como a regularidade da oferta, qualidade e quantidade do produto são condições básicas para que o horticultor tenha sucesso no empreendimento.

Benefícios da estufa

A utilização de estufas proporciona um ambiente mais favorável para as culturas, principalmente de hortaliças, garantindo o cultivo de várias espécies fora de época, aumentando a produção, o isolamento de pragas e a qualidade e ainda possibilitando o aproveitamento de pequenas áreas com alta produtividade e qualidade. Além disso, traz significativa redução no desperdício de água.

No Circuito da Olericultura, os agricultores também terão noções sobre os subsídios necessários na montagem e operação das estufas, bem como sobre aspectos importantes do manejo de irrigação de hortaliças e o manejo nutricional de folhosas.

Técnica

A técnica, chamada de Plasticultura, utiliza o cultivo agrícola por meio de estufas, que usam plástico nos formatos de filmes, telas de sombreamento, telas anti-insetos, filmes para cobertura do solo, entre outros.

Uso do mulching

Segundo Adriana, técnicas como o mulching também serão repassadas aos visitantes. “O uso do mulching plástico reduz o consumo de água de irrigação, por evitar a evaporação, evita o crescimento de plantas daninhas ou invasoras, influencia o microclima na região das raízes das plantas e mantém os produtos mais limpos, por evitar contato com o solo. Tudo isso favorece o crescimento e desenvolvimento das plantas”, explica.

Muito importante no período da seca, o manejo da irrigação tem como objetivo o não desperdício de água, o que auxilia nas épocas secas, já que com a técnica dão melhor disponibilização para as plantas. Já o manejo nutricional usa técnicas que aliam economia e evitam o desperdício de adubos, auxiliando no manejo correto dos solos, quantidades ideais de nutrientes para as plantas e aumento de produtividade.

Serviço
AgroBrasília 2019 – Espaço da Agricultura Familiar
Data: 14 a 18 de maio
Horário: 8h30 às 18h
Local: Parque Tecnológico Ivaldo Cenci – BR 251 km 5 – Brasília-DF