15/5/19 15:51
Atualizado em 15/5/19 às 15:52

Secretaria de Atendimento marca presença no Recanto das Emas

Seguindo orientação do governador Ibaneis Rocha, secretário Severino Cajazeiras visita o Núcleo Rural Monjolo e presta solidariedade às famílias atingidas por um incêndio ocorrido no início desta semana

A pedido do governador do DF, Ibaneis Rocha, o secretário de Atendimento à Comunidade, Severino Cajazeiras, esteve nesta quarta-feira (14), no Núcleo Rural Monjolo, no Recanto das Emas, onde visitou o local consumido pelas chamas de um incêndio que, ocorrido no domingo (12), deixou mais de 30 famílias desabrigadas.

O objetivo foi de acompanhar de perto as operações e ofertar todo o apoio do Governo do Distrito Federal e da articulação da Secretaria de Atendimento à Comunidade no amparo às famílias vítimas do incêndio, bem como verificar as necessidades para os encaminhamentos junto aos diversos órgãos mobilizados na ação.

Ao lado do administrador regional do Recanto das Emas, Carlos Dalvan, Cajazeiras se solidarizou com as famílias, que estão abrigadas no Ginásio Poliesportivo do Recanto das Emas, e elogiou o eficiente trabalho da Defesa Civil, das secretarias de Desenvolvimento Social e de Segurança Pública e da própria administração da cidade.

O secretário Cajazeiras (segundo a partir da esquerda) esteve no ginásio poliesportivo da cidade, local onde estão alojadas, provisoriamente, as famílias desabrigadas, para as quais doações continuam sendo aceitas  /Foto: Divulgação/Secretaria de Atendimento à Comunidade

“Visitamos a área onde essas famílias serão assentadas futuramente e estamos permanentemente em contato com CEB, Terracap e Codhab [Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal] para verificar a parte de infraestrutura e trâmites legais de regularização, visando ao assentamento definitivo”, informou o secretário.

De acordo com a Administração do Recanto das Emas, o fluxo de doações tem sido intenso desde o incêndio e está sendo feita uma triagem para a distribuição. A Secretaria de Desenvolvimento Social cadastrou todas as vítimas do incidente para receber cestas básicas e o benefício eventual, nos moldes do aluguel social. O programa garante de R$ 480 a R$ 600 mensais para ajudar nas despesas em casos de perda inesperada de moradia.

* Com informações da Secretaria de Atendimento à Comunidade