4/6/19 10:45
Atualizado em 4/6/19 às 15:30

Ibaneis busca alternativa para melhorar transporte coletivo do Entorno

Governador e comitiva do governo federal realizam inspeção na via férrea DF-Valparaíso (GO). Trecho será o primeiro a transportar passageiros com ajuda de trens

A linha férrea do Distrito Federal, utilizada exclusivamente para o transporte de carga, deverá ser revitalizada nos próximos meses para transportar passageiros. A confirmação é do governador Ibaneis Rocha, que, na manhã desta terça-feira (4), fez uma viagem técnica de trem no trecho Brasília-Valparaíso de Goiás (GO).

“Esse é um primeiro passo no rumo de uma solução no transporte para o Entorno. Estamos vivendo um tempo que vai trazer um futuro muito bom para a população do DF e de Goiás. Vamos beneficiar uma população que sofre muito com o transporte”, afirmou o governador.

O trajeto de inspeção da via da Estação Rodoferroviária a Valparaíso de Goiás foi realizado pelo governador em companhia dos secretários de Desenvolvimento da Região Metropolitana, Paulo Roriz; e de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro. “Vejam que em um trem de velocidade baixa, um trem de inspeção, gastamos apenas 1 hora e 20 minutos. Nossa expectativa é muito boa”, disse Ibaneis, ao desembarcar na cidade goiana.

Também participaram da viagem-teste o secretário nacional de Mobilidade e Serviços Urbanos do Ministério do Desenvolvimento Regional, Jean Pejo; e o diretor de planejamento da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Pedro Cunto.

VLT

De acordo com o diretor de Planejamento da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Pedro Cunto, o DF deve adotar os Veículos Leves sobre Trilhos (VLT) para trafegar em sua linha férrea. “Pretendemos trazer para cá o mesmo modelo que já operamos em Maceió [AL], João Pessoa [PB], Natal [RN] e Recife [PE], onde temos linhas a diesel também”, enumerou.

Pedro Cunto destacou que os carros são mais confortáveis que o trem tradicional e que, com estrutura leve e moderna, permitem manobras mais precisas, aumentando a segurança na viagem. “Nos trechos urbanos que possuem muitas intervenções, essas características são muito importantes”, destacou. O VLT é totalmente climatizado e possui um design moderno como a capital da República.

Segundo o diretor da CBTU, a capacidade dos trens, que têm velocidade média de 60 km/h, pode chegar a 600 pessoas por viagem. “Nesse trecho rodoviário há muito engarrafamento”, observou. “No VLT, o tempo gasto vai cair bastante. E, melhor que isso, o passageiro terá a garantia da regularidade do serviço .Vai saber exatamente a hora em que o trem sairá daqui e a que horas, precisamente, chegará a Valparaíso.”

Também fazem parte dos planos do GDF a definição de pelo menos dois horários para o funcionamento dos trens. “Estamos verificando as janelas conforme a disponibilidade atual”, informou Pedro Cunto. “Sabemos que as cargas são transportadas, em sua grande maioria, à noite. Isso facilita a possibilidade de fazermos, pelo menos, uma viagem pela manhã e outra à tarde.”

Para operar o VLT, alguns ajustes precisarão ser feitos nos trilhos. Segundo o secretário nacional de Mobilidade, Jean Pejo, são reparos em bitolas, dormentes e em todos os outros pontos que envolvem a estrutura física do local. “Estamos realizando agora a fase inicial com os recursos existentes e com investimento pesado. Estamos quase um ano à frente daquilo que havia sido planejado”, afirma. De acordo com o secretário, os recursos para as obras de adaptação das vias estão garantidos.

Galeria de Fotos

Viagem de inspeção da via férrea que liga Brasília-Valparaiso (GO)