26/6/19 21:53
Atualizado em 27/6/19 às 14:33

Novacap vai usar liga de carbono para recuperar Rodoviária do Plano Piloto

Mais moderna, instalação do material que substituirá o aço é também mais rápida e eficaz

Material feito de fibra de carbono – mais moderno, resistente e econômico que o de aço – será aplicado no interior das vigas de concreto. Foto: Lula Lopes / Agência Brasília

 

Dando prioridade às obras de recuperação da Rodoviária do Plano Piloto, o Governo do Distrito Federal (GDF) inicia nos próximos dias a reestruturação das 180 vigas de sustentação da plataforma superior do terminal. Um material feito de fibra de carbono – mais moderno, resistente e econômico que o de aço – será aplicado no interior das vigas de concreto, aumentando em dez vezes a resistência da estrutura impactada diariamente pela passagem de veículos na plataforma superior.

A previsão de custo das obras é de R$ 6 milhões. Ao término da execução, a segurança das peças reformadas será restabelecida (veja mais no vídeo abaixo).

A expectativa é de que a fibra de carbono – mesmo material usado em aviões e carros de corrida – também minimize o tempo de execução da obra em comparação às ligas de aço. A previsão é de aproximadamente três meses, enquanto à do material mais convencional seria de pelo menos um ano, o que também exigiria a interdição de parte da plataforma inferior do terminal para o escoramento das vigas.

Para garantir a qualidade na aplicação das ligas de fibra de carbono, o DFTrans executa uma operação de desvio do trânsito somente de ônibus e caminhões nas vias de acesso à plataforma superior no período da manutenção. (leia mais aqui)

Prioridade

A recuperação da Rodoviária do Plano Piloto está entre os 20 projetos das chamadas obras de arte (de grande estrutura) avaliadas pela Novacap como fundamentais para recuperação da vida útil dessas estruturas. Diante disso, o governador Ibaneis Rocha determinou prioridade na execução das obras do terminal. “A rodoviária merece nossa atenção pela importância que tem na vida da população de Brasília que passa por lá, usa o transporte público da cidade e merece mais conforto e segurança”, observou.

As obras de reforma da rodoviária, com troca dos sistemas elétricos, hidráulicos, por exemplo, prosseguem sem comprometimento à nova intervenção.