10/8/19 14:42
Atualizado em 10/8/19 às 14:42

Sábado de solidariedade reúne voluntários na Estrutural

Paco Britto participou de Ação Social na cidade. No local, 210 litros de sopa são distribuídos aos moradores da região

Fotos: Vinícius de Melo / Agência Brasília

O sábado de centenas de famílias na Estrutural e, em especial, em Santa Luzia, teve um sabor diferente. As filas formadas pelos moradores da região tinham objetivo certo: receber nos potes descartáveis a tão esperada sopa. Foi esse o espírito de solidariedade que envolveu todos os voluntários que fazem parte do projeto Belém – A Casa do Pão, uma ação social que visa dar assistência a famílias carentes e evangelizar crianças e jovens.

Cerca de 400 pessoas foram beneficiadas, não apenas com a sopa, mas com várias outras ações, como atendimentos médico e jurídico. O vice-governador Paco Britto, com sua esposa Ana Paula Hoff, fez questão de acompanhar o trabalho voluntário feito, neste dia, por aproximadamente 80 pessoas.

Há dois anos, o grupo de apoio da Ação Social realiza todos os sábados a distribuição de sopa aos moradores de Santa Luzia. “É preciso fazer mais eventos como esse. As pessoas têm que ter consciência da situação do próximo e ajudar a população mais carente”, frisou Paco.

O coordenador do evento, Juvêncio Nascimento de Assis, 53 anos, explica que a organização recebe doações dos próprios voluntários, por meio de campanha nas redes sociais. Segundo ele, antes, há seis anos, o grupo realizava um trabalho de rua, até se tornar fixo, aos sábados.

As 130 famílias são cadastradas e, neste sábado, receberam 210 litros de sopa, volume suficiente para atender 400 pessoas. A sopa é preparada anteriormente na cozinha da sede da Casa, no Setor Leste, da Estrutural. Lá, trabalham uma cozinheira, um auxiliar de cozinha e mais 12 pessoas. Toda ação é acompanhada de perto pela pequena Kely Ferreira, 11 anos. Espécie de mascote do grupo e moradora da Estrutural, ela ajuda a família e se diz feliz por poder contar com o alimento.

“É um direcionamento divino”, observou Juvêncio, ao ser questionado sobre o porquê da escolha daquele lugar como ponto de distribuição do alimento. Ainda conforme explicou, o grupo ganhou um terreno, doação particular, onde deverá finalizar a fundação, que contará com um refeitório. “Até o ano que vem, ele estará pronto, para podermos servir, aos sábados, café da manhã e continuar com a sopa”, anunciou.

Quem vibrou com a informação foi a moradora de Santa Luzia, Vânia Alves Neves de Souza, 31 anos, desempregada, que estava com toda família no local de distribuição. Ela conta que conheceu essa ação social, há três anos, quando era praticada na Estrutural. “Vim pegar a sopa, que é saudável e boa. Aqui (em Santa Luzia), é a primeira vez. Mas eu já conhecia”, disse. A sobrinha Verônica Alves adianta-se a ela e diz que a sopa “é a jantinha de sábado da família”.

Com elas, as crianças aproveitavam o dia ensolarado com brincadeiras lúdicas e os brinquedos, como pula-pula e totó, montados pela Equipe Anhanguera do Pistão Sul. Foi o que fizeram as crianças de dois, cinco e 10 anos da família de Eliane Ferreira da Silva, 23 anos. “É a segunda vez que venho aqui. A sopa é boa, gostosa. O dinheiro de casa é pouco. Meu namorado, como ajudante de pedreiro, ganha cem reais nos trabalhos realizados duas vezes na semana”, contou.

Ações

Formada por um grupo de 20 a 30 pessoas, a equipe Anhanguera realiza ações sociais em parceria com o Governo do Distrito Federal (GDF). No evento deste sábado, a ação social contou com grupos de profissionais e também estudantes, que atuam em biomedicina; enfermaria; educação física; pedagogia; além de ações do departamento comercial e da administração e de atendimento e orientações jurídicas.

“Em todas as ações em que somos convocados, contribuímos com o público necessitado”, informou a responsável pelo evento, professora e coordenadora da faculdade de mesmo nome, Amanda Abreu. Segundo ela, no local, as 400 pessoas beneficiadas fazem parte da comunidade de 14 mil moradores de Santa Luzia.

Histórico
A estrutura do projeto Belém – A Casa do Pão (Betuel, em hebraico, significa A Casa de Deus) inclui um Conselho Deliberativo e Fiscal, além do trabalho dos voluntários, incluindo a participação de jovens, como do Departamento de Infância e da Juventude do Distrito Federal. A Casa da Estrutural é a primeira de Brasília. Além da distribuição de sopa e de cestas básicas, o grupo recolhe doações contendo roupas, calçados, materiais escolares e fraldas descartáveis, produtos destinados à comunidade de Santa Luzia.

Segundo informações do grupo, a Casa teve início na época em que viveu Jesus de Nazaré. A legenda do grupo é “Entre, Descanse e Siga em Paz”, que tem o intuito de atender a todos sem distinção de religiões. O objetivo desse lema é informar a todos aqueles, que entram numa casa de oração, sobre o significado da ação do grupo que é “sentar-se, se alimentar no corpo e na alma, depois seguir em paz; pois foram alimentados das duas formas, e que a nossa vida é um eterno caminhar em busca da perfeição”.

No Brasil, Belém – A Casa do Pão surgiu há 26 anos, em Sacramento (MG), em 1993. Atualmente, há mais de 50 casas espalhadas pelo país