20/8/19 19:20
Atualizado em 21/8/19 às 9:16

Controladoria do DF lança projeto De Olho na Educação

Iniciativa conta com a colaboração de 15 parceiros, prevê atividades de educação legislativa e fiscal, prevenção à corrupção e temas relacionados ao controle social e formação cidadã

Em sua quarta edição, o projeto de Olho na Educação, que se dividiu em duas categorias, De Olho na Educação – Comunidade e De Olho na Educação – Jovem, pretende capacitar e despertar nos estudantes o interesse por temas relacionados ao controle social, à ética e à cidadania por intermédio do incentivo à reflexão e ao debate desses assuntos nos ambientes educacionais.

Elaborado pela Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF), o projeto foi lançado nesta terça-feira (20) durante evento no auditório da Câmara Legislativa do Distrito Federal que estava repleto de estudantes, educandos do programa Fábrica Social e de interessados do setor.

Também estiveram presentes à cerimônia o controlador-geral do DF, Aldemário Castro; o secretário João Pedro Ferraz; a secretária da Mulher, Éricka Filippelli; o secretário de Relações Institucionais, Vitor Paulo; o presidente e o vice-presidente da Casa, respectivamente, Rafael Prudente, e Delmasso; o deputado distrital Leandro Gras; a promotora de Justiça do MPDFT, Lenna Daher; o diretor-presidente do TCB, Chancerley Santana; a diretora-geral do Senado, Ilana Trombka; representando a Fibra, a superintendente do Sesi, Maria Gricélia; o presidente da Codeplan, Jean Lima; a diretora da Funap, Deuselita Martins; o chefe de Assuntos Parlamentares do DF, Bispo Renato; entre outros convidados.

Coordenado pela Subcontroladoria de Transparência e Combate à Corrupção, o projeto, que conta com a colaboração de 15 parceiros, prevê atividades de educação legislativa e fiscal, prevenção à corrupção e temas relacionados ao controle social e formação cidadã. A escolas vencedoras nas três primeiras categorias receberão prêmios em dinheiro e viagens.

O vice-governador Paco Britto agradeceu aos envolvidos no projeto, em nome do governador Ibaneis Rocha. “Esse projeto lança a semente para que cada um viva sua cidadania de maneira ativa em todos os contextos sociais”, frisou. Referindo-se à premiação em dinheiro e viagens, informou que no dia 5 de dezembro serão conhecidos os resultados e as melhores práticas.

O presidente da Câmara Legislativa, Rafael Prudente, pediu uma interlocução e um estreitamento do projeto junto à CGDF para ampliar esse processo, pois, segundo ele, a Casa formou na semana passada dezenas de professores de ensino, com o tema Democracia e Cidadania, cujo projeto é “similar” ao apresentado nesta terça-feira.

Etapas
As escolas deverão formar equipes de acordo com as categorias. As unidades de ensino poderão inscrever uma equipe de até quinze alunos por categoria. Já o Programa Fábrica Social poderá inscrever até sete equipes com até dez educandos. Em seguida, a inscrição e o envio dos dados dos estudantes e professores devem ser enviados pelo site www.deolho.df.gov.br, que estará disponível a partir desta quarta (21).

Em seguida, as equipes devem participar de uma capacitação por meio de um Workshop, em 29 de agosto deste ano. As equipes formadas terão que cumprir tarefas, como auditoria cívica, feira de negócios, projeto de intervenção e de lei de iniciativa popular, que contarão pontos na competição.

A tarefa ordinária é uma atividade de execução coletiva e os projetos desenvolvidos pela escola devem abordar os seguintes temas: controle social; transparência pública; cidadania; construção de valores contrários à corrupção; melhoria do ambiente escolar; educação fiscal ou financeira; e educação legislativa.

A auditoria cívica busca o controle da gestão escolar e do gasto público, para verificar possíveis problemas e irregularidades, além da preservação do patrimônio público. Ela poderá ser feita tanto na escola quanto em espaços públicos da própria comunidade.

A partir dessa auditoria, serão levantadas as reais necessidades da escola, que serão apresentadas pelas equipes do Programa Fábrica Social, responsável pelo desenvolvimento dos projetos para apresentá-los às escolas na feira de negócios.

A feira de negócios será um espaço de simulação para o empreendedorismo, no qual os educandos da Fábrica Social vão vender os projetos para os seus clientes, que são as escolas. Após a feira, serão realizados então os projetos de intervenção nas escolas com as soluções dos problemas, com a ajuda de toda a comunidade escolar.

Participarão quatro escolas de gestão compartilhada com a Polícia Militar do DF: Centro Educacional 01 da Estrutural; Centro Educacional 3 de Sobradinho; Centro Educacional 7 de Ceilândia; Centro Educacional 308 Recanto das Emas e três colégios do Serviço Social da Indústria, SESI do Gama e de Taguatinga e SESI/SENAI de Sobradinho, além do Centro de Capacitação Profissional – Programa Fábrica Social.

* Com informações da Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF)