3/9/19 16:55
Atualizado em 3/9/19 às 16:55

Centros obstétricos recebem bolas de pilates para auxiliar nos partos

 

Ao todo, 102 unidades foram distribuídas na rede de saúde. Produto é usado em exercícios que reduzem o desconforto do pré-parto e melhora a mobilidade pélvica

O Centro Obstétrico do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) recebeu, nesta terça-feira (3), cinco bolas de pilates. Utilizada durante o trabalho de parto, a técnica reduz o desconforto do pré-parto, além de promover às gestantes o alívio das dores e a melhoria da mobilidade pélvica. No total, foram entregues 102 unidades pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal para 11 hospitais regionais e a Casa de Parto de São Sebastião. O investimento foi de R$3.920,00.

De acordo com o diretor do Hran, Sócrates Souza Ornelas, o método melhora as condições das parturientes e a qualidade do parto. “É uma satisfação receber esse material para que possamos proporcionar, cada vez mais, o parto humanizado às gestantes”, destacou.

Do total de bolas suíças entregues, 52 possuem 65 centímetros de diâmetro e 50 têm 55 centímetros. Essa diferença de tamanhos abrange a variação de estatura das gestantes.

Foto: Breno Esaki/Secretaria de Saúde-DF

“Sabemos que toda a rede está recebendo esse dispositivo. Queremos agradecer à Secretaria de Saúde pela atitude, a fim de que o parto se torne mais leve e agradável às mulheres e que elas tenham seus bebês de forma feliz”, ressaltou a enfermeira obstétrica do Hran e preceptora da Residência em Enfermagem obstétrica do hospital, Gerusa Amaral de Medeiros.

Segundo a gerente de Serviços de Enfermagem Obstétrica e Neonatal da pasta, Gabrielle Medeiros, a técnica traz diversos benefícios. “Por ser instrumento lúdico, tira um pouco da atenção da paciente com relação à dor que ela está sentindo”, explicou.

A bola também permite à paciente permanecer em posição vertical. “Com isso, a gestante tem mais liberdade, podendo ser a protagonista do parto, pois é ela quem vai parir e a equipe de enfermagem estará próxima para auxiliá-la”, acrescentou a gerente.

 

Foto: Breno Esaki/Secretaria de Saúde-DF

Essa posição ajuda ao bebê forçar o colo do útero. “Isso acelera a dilatação e o trabalho de parto normal”, complementou Gabrielle. Quando a mulher está sentada na bola suíça, pode receber massagem e apoio do esposo ou do acompanhante que esteja sentado atrás.

“Trata-se de um recurso de tecnologia leve, sem grandes custos e traz um impacto muito positivo no desfecho do trabalho de parto, parto e nascimento. Culturalmente, a mulher paria apenas deitada. Hoje em dia, a bola suíça faz com que a gestante fique mais ativa”, concluiu Gabrielle.

* Com informações da Secretaria de Saúde-DF