22/10/19 18:17
Atualizado em 22/10/19 às 18:27

A importância de dar passagem aos veículos de emergência

Números de veículo autuados por impedir a passagem destes veículos neste ano já é 10% maior que no ano passado

Você sabia que dar passagem a veículos de emergência, além de demonstração de cidadania, é respeito ao Código de Trânsito Brasileiro (CTB)? O condutor deve estar sempre atento a esta situação. O desrespeito pode gerar infração gravíssima – com multa no valor de R$ 293,47 e sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

A penalidade é prevista no artigo 189 do CTB. Ela é aplicada nos casos em que motoristas deixam de dar passagem às ambulâncias, veículos de socorro de incêndio e salvamento, viaturas policiais, de fiscalização de trânsito e dos precedidos de batedores em serviço de urgência e devidamente identificados.

Neste ano, 452 condutores já foram autuados entre os meses de janeiro a setembro. No mesmo período do ano passado, foram 408 ocorrências, o que representa um aumento de 10,7% dos casos. Os dados são do Departamento de Trânsito (Detran-DF), mas inclui infrações registradas pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF).

Para o diretor de Fiscalização de Trânsito, Francisco Saraiva, a infração está vinculada à desatenção ao volante. “O ideal é que o motorista esteja atento aos detalhes internos e externos do veículo. Ou seja, não deixar os vidros completamente fechados para que ele verifique o que está acontecendo do lado de fora, não deixe o volume do rádio alto e não utilize películas que atrapalhe a visibilidade”.

Caso o condutor precise avançar o sinal para dar passagem à viaturas, é possível solicitar ao Detran/DF a nulidade da multa. “Atualmente é mais fácil comprovar este fato, por conta das câmeras nos semáforos. É importante também o condutor anotar o horário e, se possível, a placa da viatura”, explicou Francisco.

Outra infração
De acordo com CTB, quando o veículo com dispositivos de emergência acionados se aproximar, os condutores devem deixar a faixa da esquerda livre e seguir para a da direita ou para o acostamento.O condutor também não pode aproveitar o vácuo deixado pelas viaturas e seguir com velocidade logo atrás. Esta é outra infração de trânsito grave, com multa no valor de R$ 195,23 e cinco pontos na CNH.Importante lembrar que as faixas da esquerda são destinadas à ultrapassagem e ao deslocamento dos veículos. Ao não respeitar esta regra, o motorista pode incorrer em multa.Cada minuto é essencial

O tempo é primordial para eficiência dos trabalhos dos bombeiros – tanto no atendimento de vítimas quanto em incêndios. “A maioria dos atendimentos em paradas cardiorrespiratórias são necessários cerca de 40 minutos para reanimação. Portanto, qualquer tempo perdido pode influir na efetividade de nosso trabalho”, contou o oficial de informação pública do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), capitão Wilson de Souza Mendes.

De acordo com Mendes, é notório o aumento de motoristas ao celular, o que pode inviabilizar a passagem de viaturas. “Na maioria dos atendimentos, precisamos nos deslocar em alta velocidade. O Código de Trânsito dá essa prioridade de passagem aos veículos de emergência, mas cada vez mais nos deparamos com motoristas desatentos, ao telefone. Utilizamos luminosos e sirenes, mas muitas vezes temos dificuldade para passar”.

De acordo com dados do Detran/DF, de janeiro a setembro de 2019 foram registradas 60.976 infrações pelo artigo 252, do CTB, que fala do uso do volante com apenas uma das mãos, exceto para fazer sinais regulamentares de braço, mudar a marcha do veículo, ou acionar equipamentos e acessórios do veículo. A infração torna-se gravíssima caso o condutor esteja segurando ou manuseando telefone celular.

No mesmo período de 2018 foram registradas 55.585 infrações pelo mesmo artigo.

Um outro alerta do capitão é em relação aos veículos estacionados em locais não autorizados. “Veículos estacionados em locais proibidos também podem dificultar nossa passagem, principalmente em grandes centros comerciais, como o Setor Comercial Sul. Chamamos o Detran para remover estes carros, mas não se trata apenas de ser multado por conta desta infração, mas principalmente de ter consciência e pensar que pode estar atrapalhando uma vida ser salva”.