30/10/19 16:38
Atualizado em 30/10/19 às 16:39

Dois filmes nacionais que abordam questões de gênero entram em cartaz no Cine Brasília

Mostra gratuita sobre novo cinema na República Dominicana também é destaque 

A questão de gênero está em dois filmes nacionais que estreiam no Cine Brasília nesta quinta-feira (31). A animação A Cidade dos Piratas desafia o espectador a acompanhar uma narrativa complexa em termos de linguagem e conteúdo, abordando de maneira livre passagens da biografia do cartunista e dublê de transformista Laerte Coutinho (68 anos). Personagens das tirinhas Piratas do Tietê ganham a cena num convulsionado enredo que mistura ficção e crítica da realidade. 

Em outro filme, a câmera enquadra a atriz, cantora, maquiadora e transformista brasileira Rogéria, cuja carreira artística começou nos bastidores, maquiando celebridades do porte de Chacrinha, Norma Benguell, Dercy Gonçalves, Ronald Golias e Chico Anysio, na extinta TV Rio, antes de chamar para si as luzes do palco. No filme, depoimentos situam a importância de Rogéria, nascida Astolfo Barroso Pinto, e precursora do movimento de “drag queens”.

Uma mostra gratuita do novo cinema da República Dominicana, parceria entre a Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) e a embaixada do país caribenho, traz destaques da filmografia local. 

A seguir, fichas-técnicas, sinopses e trailers do que estará em cartaz no Cine Brasília.

A Cidade dos Piratas
De Otto Guerra (2018, documentário/animação, Brasil, 83 minutos, 16 anos)

Sinopse: Um diretor de cinema (Otto) enfrenta uma situação complexa no meio da produção de longa metragem quando o autor de Os Piratas do Tietê (Laerte) começa a rejeitar os personagens quando o enredo está praticamente pronto. O filme, com direção de Otto e roteiro de Laerte, mistura ficção, realidade e reflexões sobre política e arte.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=UndpMLfsQv4 

Rogéria, Senhor Astolfo Barroso Pinto
De Pedro Gui (2018, documentário, Brasil, 82 min, 14 anos)

Sinopse: Filme aborda vida e trajetória artística de Rogéria (1943-2017), nascida Astolfo Barroso Pinto, a partir da dualidade entre artista e a identidade do RG. Passando pelos principais momentos da trajetória da transformista, mescla dramatizações de episódios vividos pela protagonista – como o acidente que lhe feriu a cabeça – e depoimentos de artistas brasileiros, como Betty Faria, Jô Soares, Bibi Ferreira e Aguinaldo Silva.

Trailer:
https://www.youtube.com/watch?v=kX_0fiPm5Zk 

IV Mostra do Novo Cinema Dominicano (entrada franca)

O que sinto por você (Lo que siento por ti)
De Raúl Camilo (2018, drama, livre)

Sinopse: Baseado em três histórias reais paralelas. Uma mãe solteira, abandonada pelo marido e deixada sozinha com seus dois filhos adolescentes autistas, lutando para ser aceita pela comunidade. Sua perseverança gera uma grande transformação. Um casamento em colapso, após oito anos de tentativas infrutíferas para ter filhos e uma virada inesperada. O pai de uma criança com Síndrome de Down que participa de olimpíadas especiais se aproxima do filho durante a competição, mudando o relacionamento entre eles. Prêmios de melhor filme e melhor diretor no Oklahoma Cine Latino Film Festival (2019).

https://www.youtube.com/watch?v=1I1V6_v13WM

Reinbou (Reinbou)
De David Maler e Andrés Curbelo (2017, drama/ação, 100 min, 12 anos)

Sinopse: Um garoto do interior de 7 anos, que nunca conheceu seu pai, um dia encontra um “livro mágico” que vai lentamente revelando a história dele. O espectador percebe que os mesmos perigos que perseguiram o pai estão presentes na vida do filho. Filme aborda a trajetória do filho na busca pela verdade e como essa jornada inspira outras pessoas. Lembra que em algum momento, o passado sempre volta. Indicado como melhor direção no festival La Silla de cinematografia dominicana em 2018.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=hjgZzkSXFA4

As coisas que não dissemos (Lo que no decimos)
De Soleidy Mendez (2018, drama, República Dominicada/EUA,15 min, 12 anos)

Sinopse: Acreditando na morte próxima, um velho solitário que sofre de Parkinson e depressão decide imaginar diálogos com a esposa morta. Méndez mostra suas habilidades em direção nesta curta. Prémio Fernando Báez de melhor curta no Festival de Cinema Dominicano.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=4E74XEjRbWU

Os Leões (Que León)
De Frank Perozo (2018, comédia, 90 min, 14 anos)

Sinopse: A película conta a história de amor de dois jovens que, com o mesmo sobrenome (que dá título ao filme), pertencem a duas classes sociais muito diferentes. Um jovem trabalhador consegue obter bolsa para estudar em universidade de prestígio, onde conhecerá a namorada, filha do magnata das telecomunicações. Nenhuma das duas famílias, separadas pelo corte de classe, vê com bons olhos a relação e tentarão pôr fim ao romance.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=Iz5npCGo494 


Programação de 31/10 a 03/11

Quinta-feira (31/10):
16h – Rogéria
18h – A Cidade dos Piratas
20h – A Cidade dos Piratas

Sexta-feira (01/11):
16h – Rogéria
19h – Abertura da IV Mostra do Novo Cinema Dominicano (coquetel)
20h – Reinbou (Mostra)

Sábado (02/11):
16h – Rogéria
18h – A Cidade dos Piratas
20h – Os Leões (Mostra) – Gratuito

Domingo (03/11):
16h – Rogéria
18h – A Cidade dos Piratas
20h – As coisas que não falamos (Mostra)
20h15 – O que eu sinto por você (Mostra)

Serviço
Cine Brasília
– Filmes com sessão paga, a R$ 12 a inteira (a bilheteria só aceita dinheiro)
– IV Mostra do Novo Cinema Dominicano (entrada franca)
Endereço: Asa Sul, entrequadra 106/107. Telefone: (61) 3244-1660.

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa