8/11/19 13:39
Atualizado em 8/11/19 às 15:57

CEF Queima Lençol retoma expediente em dez dias

Ensino no colégio que foi destelhado pelas chuvas será retomado no próximo dia 18. Secretaria acionou a empresa construtora 

Os reparos no CEF Queima Lençol, em Sobradinho, começaram nesta sexta-feira (8), dia seguinte aos danos causados pelas fortes chuvas de quinta-feira. A empresa contratada pela Secretaria de Estado de Educação do DF criou uma força-tarefa para limpeza e retirada das telhas que desabaram sobre três blocos de salas de aula – um deles, junto com o administrativo, será recuperado (provisoriamente) até o final da próxima semana, permitindo o retorno de 60% dos estudantes às aulas até o dia 18.

Os demais alunos serão realocados em escolas próximas, na mesma região. Se necessário, a Secretaria fornecerá transporte escolar para quem precisar. As aulas, suspensas na semana dos dias 11 a 14 de novembro, serão repostas até o dia 20 de dezembro, sem prejuízo do cumprimento do calendário escolar para os 676 estudantes da escola. Estes reparos foram orçados em R$ 300 mil.

Ciplan
Além disso, a Secretaria encaminhará hoje ofício à Ciplan, empresa responsável pela obra entregue no ano passado, pedindo a realização dos reparos necessários no restante da escola, de forma que evite que o mesmo problema ocorra novamente. Esta é a segunda vez que a escola alaga. A obra de construção da EC Queima Lençol foi objeto de um TAC firmado pelo MPDFT e a Ciplan.

Os três blocos da escola foram afetados. A cobertura de um bloco de salas de aula foi mais de 50% levantada pelos ventos e lançada sobre os outros dois blocos, também provocando danos em sua cobertura. 

Foto: Divulgação

Hoje pela manhã, a Diretoria de Engenharia acionou a CEB para ajustes na parte elétrica da unidade. A empresa de informática também foi chamada e deve conectar os computadores assim que a energia for religada.

Protocolos
A Secretaria reuniu todas as suas subsecretarias e assessorias num escritório de situação para resolver os problemas causados pelas chuvas e providenciar protocolos que orientem os gestores da rede pública de ensino a lidar com situações de emergência, como estas provocadas por chuvas e tempestades.

Os protocolos vão propor treinamento sobre como se comportar nestas situações e vão permitir que a Secretaria atue ainda com maior rapidez nestas situações. A realocação dos estudantes e a reorganização das rotas do transporte escolar também serão revistas, de forma a causar o mínimo de transtorno na vida dos estudantes e de suas famílias.

* Com informações da Secretaria de Educação/DF