11/11/19 15:32
Atualizado em 11/11/19 às 15:42

Sala de combate ao Aedes tem estrutura oficializada

Publicação no DODF ratifica ações de órgãos do Executivo local, que têm o compromisso conjunto de prevenir as doenças transmitidas pelo mosquito

Essencial para alinhar as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, a Sala Distrital reúne vários órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF) para monitorar a situação da dengue e de outras arboviroses. Ela também funciona para promover a articulação intersetorial, além de oferecer das medidas de prevenção e controle das doenças transmitidas pelo mosquito. Seu funcionamento foi formalizado em publicação do Diário Oficial do Distrito Federal desta segunda-feira (11). 

“Com isso, oficializamos a participação dos órgãos dentro da Sala Distrital. Como iniciamos atividades e trabalhos permanentes contra o Aedes, a publicação ratifica o compromisso de legitimar todas as ações dos outros órgãos que não são da área da saúde para trabalhar contra o mosquito”, explicou o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero.

Foto: Mariana Raphael/Saúde-DF

Na avaliação do gestor, a medida é necessária porque as ações de prevenção e controle de doenças como a dengue são multidisciplinares, envolvendo várias secretarias e órgãos. “Em função das características da dengue, pedimos por essa publicação para respaldar e garantir a segurança jurídica aos órgãos envolvidos no controle entorno-epidemiológico”, ressaltou.

O nome oficial é Sala Distrital Permanente de Coordenação e Controle das Ações de Prevenção e Enfrentamento às Doenças Transmitidas pelo Aedes. Integram a iniciativa as secretarias das Cidades, da Agricultura, da Educação, de Comunicação, da Casa Civil, Serviço de Limpeza Urbana (SLU), DF Legal, Novacap, Caesb, Corpo de Bombeiros Militar, Emater, Ibram, administrações regionais, entre outros.

Alguns projetos são apoiados pela Sala Distrital, como a Escola sem Mosquito, Agentes Mobilizadores da Água, Cidades Limpas, dentre outros.

A iniciativa mais recente é o plano Todos Contra a Dengue no DF, que traça ações até o próximo ano para reduzir os casos das doenças transmitidas pelo mosquito, principalmente com a chegada do período chuvoso. 

Medidas
Muito tem sido feito pelo GDF no combate ao mosquito. Nos primeiros nove meses deste ano, 834.449 imóveis foram inspecionados – quase 92 mil a mais do que no mesmo período do ano passado.

O uso de UBV, mais conhecido como fumacê, também foi intensificado em 2019: foram 989.526 aplicações do insumo, contra 62.855 no ano passado; e 39.528 aplicações de UBV costal, contra 19.625, em 2018.

Além disso, foram instaladas 1.354 armadilhas. De acordo com a equipe técnica, é importante destacar que o DF está abastecido com o inseticida, garantindo a segurança da população.

A Secretaria de Saúde também investiu na capacitação de servidores da Vigilância Ambiental. Até agora, sete turmas foram preparadas, totalizando 280 pessoas. Nas duas últimas semanas de novembro, outros 60 profissionais serão treinados, segundo a Subsecretaria de Vigilância à Saúde (SVS).

Nesta primeira quinzena de novembro, está sendo finalizado o quarto e último Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) deste ano. Com os dados, será possível traçar novas estratégias regionais, aumentando a efetividade das ações.

* Com informações da Secretaria de Saúde/DF