29/11/19 18:00
Atualizado em 30/11/19 às 9:28

Saúde reduz tabagismo em presídios

Iniciativas de combate ao cigarro – como criar uma ala para não fumantes na Papuda – ganham certificados de honra ao mérito 

Duas iniciativas da Secretaria de Saúde para reduzir o uso do cigarro em unidades prisionais do DF foram homenageadas, nesta sexta-feira (29), na terceira edição do seminário Apresentação das Ações de Controle do Tabagismo no Sistema Prisional. As ações foram reconhecidas com certificados de honra ao mérito.

“O DF foi pioneiro na implantação do programa contra tabagismo no país. Saímos na frente em 2016 e a cada dia lapidamos mais esse projeto para alcançar a excelência. E isso tem trazido resultados magníficos”, destacou o assessor da Coordenação de Atenção Primária (Coaps) da Secretaria de Saúde, Sérgio Gonçalves.

Um dos resultados reconhecidos e homenageados no seminário foi na Penitenciária do Distrito Federal (PDF-1), na Fazenda Papuda. Lá, foi criada uma ala para não fumantes, o que contribuiu na melhoria das taxas de doenças ligadas ao fumo.

A equipe de saúde da unidade também adotou medidas para reduzir, de forma gradual, o consumo de cigarros no local, o que inclui ações de conscientização com familiares dos internos, para convencê-los a pararem com o fumo. 

Com isso, diminuíram em 70% o consumo de cigarro na unidade. “A previsão é tornar o ambiente 100% livre de tabaco em 2020”, prevê a gerente de Saúde do Sistema de Assistência Prisional, Simone Kátia de Souza.

Adesivos de nicotina
Outra homenagem foi ao trabalho realizado no Centro de Progressão Penitenciária (CPP), localizado no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). A iniciativa foi da Gerência de Serviços da Atenção Primária à Saúde (Gsap) 4 do Guará, que implementou um conjunto de ações para reduzir o tabagismo. Entre elas, Práticas Integrativas de Saúde (PIS) e aplicação de adesivos de nicotina de acordo com o grau de dependência.

“Fomos a primeira unidade prisional do Brasil a implantar um espaço livre do tabaco, com um ambulatório no CPP. Como resultado, temos 73 internos que pararam de fumar definitivamente”, conta Vanusa Oliveira, gerente da Gsap 4 do Guará e uma das que recebeu o certificado de honra ao mérito.

Capacitações
Outra ação destacada pelos gestores foi a capacitação da Secretaria de Saúde a 1.536 pessoas, entre profissionais de saúde, agentes penitenciários e trabalhadores da limpeza nas ações de prevenção ao uso do tabaco. 

“Foi feita uma sensibilização com eles para o tratamento contra o tabagismo, com abordagens diferenciadas, a depender dos atendidos”, explicou Simone Kátia de Souza.

“O que temos tentado é fazer com que as pessoas abracem essa causa, para reduzir cada vez mais o uso do cigarro na prisão. Esses treinamentos vêm a calhar com tudo o que fazemos, na prática, nas unidades prisionais, para combater o tabagismo”, ressaltou o assessor da Coaps, Sérgio Gonçalves.

* Com informações da Secretaria de Saúde