29/12/19 11:39
Atualizado em 29/12/19 às 11:39

I’ll be there: musical homenageia Michael Jackson 

Show no Complexo Cultural de Planaltina lembrou os dez anos da morte do cantor americano e teve, claro, sucessos como Black or White, Billie Jean e Thriller

Expectativa e curiosidade dominavam os 340 espectadores que chegaram, no início da noite de sábado (28), ao Complexo Cultural de Planaltina para assistir ao espetáculo musical I’ll be there, em homenagem a Michael Jackson. Com uma performance completa de música, dança e teatro, o público cantou e se emocionou com os grandes sucessos do Rei do Pop.

Com apoio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), o show que lembra os dez anos da morte do cantor e compositor norte-americano, teve recorde de público para o Complexo Cultural de Planaltina. A iniciativa também arrecadou alimentos não perecíveis e troca do ingresso para o musical. A expectativa é que nos dois dias o evento receba 680 pessoas.

A apresentação entoou alguns clássicos, com direito ao coro da plateia. Black or White, Billie Jean, Thriller, Smooth Criminal, entre outros sucessos foram representados pelo coletivo de músicos e corpo de bailarinos.

O produtor cultural e maestro Rênio Quintas, um dos organizadores do espetáculo, conta que o show é dedicado à memória viva que o cantor desperta nas pessoas e no seu legado como um dos precursores da música pop no mundo. 

Quintas destacou a importância de lotar uma casa como o Complexo Cultural de Planaltina. “Me emocionei pela receptividade que o público teve com o nosso projeto. Trabalhamos para emocionar as pessoas através da cultura e da música”, explicou.

Presente durante o espetáculo musical, o titular da Secec, Bartolomeu Rodrigues, declarou estar contagiado pelas lembranças que as músicas trouxeram. Ele também indicou o esforço do GDF para promover grandes ações fora do eixo central do Plano Piloto. 

“É impressionante ver a quantidade de público emocionado e a interação dos artistas neste espetáculo de altíssimo nível. O Distrito Federal é uma capital cultural e o Complexo Cultural de Planaltina pode contar com toda a atenção da Secec para promover mais eventos desta magnitude”, avaliou Rodrigues.