30/12/19 19:43
Atualizado em 30/12/19 às 19:46

Comemorações deixarão marcas sociais em Brasília

Organizações da Sociedade Civil trabalham para que a cidade tenha um legado da festa

O réveillon em Brasília vai ter muita festa e será lembrado por boas práticas de sustentabilidade e ações socioeducativas. Além disso, a virada promete deixar legado para a população do Distrito Federal e seus visitantes.

Os eventos na Esplanada dos Ministérios, próximo à Praça dos Três Poderes, e na Praça dos Orixás (Prainha), no Setor de Clubes Esportivos Sul Trecho 2, devem reunir milhares de pessoas que celebram a chegada do novo ano. Duas organizações da sociedade civil  (OSC) são responsáveis pelas festas.

O Instituto Desponta Brasil, que organiza o Réveillon da Esplanada, promete efetuar diversas medidas, como produção zero de lixo; fortalecimento da cadeia produtiva local; atendimento humanizado, com respeito à diversidade e à acessibilidade; e boas práticas no fornecimento de alimentação, com redução de utensílios descartáveis, oferta de insumos orgânicos, produtos do Cerrado e da agricultura familiar.

A estrutura de serviços para o a festa na Esplanada prevê mais de 150 banheiros com opções para pessoas com deficiência. Essas terão facilidades exclusivas, com palco privilegiado de 100 metros quadrados munido de rampa de acesso, de frente para as apresentações da noite, que serão reproduzidas em telões de LED.

Haverá duas praças de alimentação, atendimento por 34 brigadistas, posto médico e equipe com 140 seguranças particulares, além de 1,2 mil PMs. No total, 60 pessoas se encarregam da limpeza com destino a reciclagem e geração de renda para famílias cadastradas. A queima de fogos na virada terá duração de dez minutos.

Prainha

A festa na Praça dos Orixás (Prainha) será coordenada pela OSC Grêmio Recreativo Carnavalesco de Vicente Pires, que vai promover revitalização parcial do local com pintura das estátuas dos orixás, faxina, capina, pintura de meios-fios e troca de placas informativas.

A estátua de Oxalá é uma das peças a serem restauradas. “Vamos vestir porque está muito vandalizada”, explica Luciano Ibiapina, que coordena o evento para a OSC. “Estimamos que a restauração da peça fique em R$ 50 mil”.

Para conforto do público, serão montados 92 banheiros químicos, incluindo 12 para portadores de deficiência. Barracas vão comercializar comidas típicas, como acarajé. Estarão em ação 160 seguranças para o show, 64 para cuidar do patrimônio, 40 brigadistas e quatro ambulâncias. O show pirotécnico também durará dez minutos.

 

* Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec)